Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

“Abeiradouro” vai recuperar abrigo de patos

A Associação de Amigos “Abeiradouro” vai repor a “Casa dos Patos” que, na última cheia do Douro, ficou bastante danificada. Este abrigo será colocado na água do Douro, junto ao cais fluvial turístico de Peso da Régua.   Segundo Manuel Mota, dirigente desta Associação, “o objectivo deste resguardo é proteger as aves que, de noite, […]

A Associação de Amigos “Abeiradouro” vai repor a “Casa dos Patos” que, na última cheia do Douro, ficou bastante danificada. Este abrigo será colocado na água do Douro, junto ao cais fluvial turístico de Peso da Régua.

 

Segundo Manuel Mota, dirigente desta Associação, “o objectivo deste resguardo é proteger as aves que, de noite, procuram aquele espaço para se protegerem das lontras e, ao mesmo tempo, para servir de local de criação”.

A casota, em madeira, terá uma estrutura flutuante, será pintada e recuperada, nalgumas das suas partes. Esta estrutura, na última cheia do rio, foi atingida por um frigorífico que boiava, acabando por virar e danificar-se.

“Depois de serem instaladas as respectivas plataformas, vamos repor ali a casota” – garantiu Manuel Mota.

A operação vai decorrer até ao final do mês.

Segundo aquele dirigente da “Abeiradouro”, a Associação, a exemplo dos anos anteriores, “vai fazer um pequeno repovoamento de patos mansos”, pelo que irá adquirir alguns deles. A ideia é “combinar a beleza do pato manso com os muitos patos bravos que já existem. Temos patos mansos que foram postos, há três anos, e que ainda existem”.

De referir que a existência de um grande efectivo de patos bravos, no cais fluvial turístico, é já uma grande atracção. Neste momento, estima-se que sejam mais de meia centena.

Segundo o Presidente da “Abeiradouro”, a colocação das aves mansas estava prevista para o Dia Mundial da Criança, mas, por razões que se prendem com a “gripe das aves”, a data teve de ser alterada.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.