Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
©DR

Agrupamento Morgado de Mateus coordena projeto Erasmus+

Em janeiro de 2021, aquando do confinamento consequente da Covid-19, nasceu a vontade e a intenção de levar à comunidade escolar um contacto mais próximo com a inteligência e a gestão emocional através de um Projeto Erasmus+, que também está inserido no Plano de Desenvolvimento Pessoal, Social e Comunitário do Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus.

-PUB-

Arrancou em formato online nas turmas do 2º ciclo e logo que as condições o permitiram passou para modo presencial. Ambos os projetos possuem um leque abrangente de objetivos que “visam sobretudo o desenvolvimento das competências e das capacidades pessoais e interpessoais dos alunos, através da implementação de estratégias e práticas consistentes na escola”. E foi com este objetivo no horizonte que se deu início às atividades que abrangem os alunos do pré-escolar, 1º, 2º e 3º ciclo, assim como a restante comunidade escolar.

Através da sensibilização e promoção de atividades para a comunidade escolar, “têm vindo a ser promovidas várias iniciativas que procuram dar espaço e tempo para a gestão emocional, a autorregulação, as competências comunicativas e a atitude positiva”, explica o agrupamento em comunicado, adiantando que estas poderão “fazer a diferença nos momentos mais desafiantes, em especial aquele pelo qual todos estamos a passar”.

O projeto ganha ainda mais projeção quando os alunos do agrupamento o levam além-fronteiras e procuram partilhar práticas de autorregulação com os parceiros Erasmus+. As atividades e objetivos deste plano articulam com o projeto Erasmus+ “Soft skills, Strong persons” – promoção da Inteligência Emocional nas Escolas – uma parceria entre escolas europeias de quatro países, Portugal, Bulgária, Itália e Polónia, em que o Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus é o coordenador.

Já no decorrer deste ano letivo, a equipa portuguesa constituída por três docentes e seis discentes rumaram a Verbania, em Itália, onde puderam estar juntos dos parceiros com quem tinham realizado uma atividade conjunta, mas à distância. Desta vez, puderam usufruir de todas as vantagens que a empatia vivenciada proporciona.

Nestes encontros, à semelhança do que acontece desde janeiro de 2021, “foram postas em ação algumas práticas de autorregulação, de (re)conhecimento das diferentes emoções e dos estados emocionais, do autocontrolo, da promoção da auto empatia e da empatia, da gentileza e da aceitação, no fundo como sermos felizes e sermos boas pessoas”.

Para que essas aprendizagens estejam à altura dos desafios atuais, este projeto já envolveu 725 alunos, 14 professores e cerca de 1530 horas de ação e intervenção direta com os alunos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.