Terça-feira, 28 de Setembro de 2021
@ DR

“Alboroço” percorre freguesias de Miranda do Douro

Desde o dia 25 de julho, as treze Freguesias do Concelho de Miranda do Douro têm sido palco de espetáculos de diferentes linguagens e expressões artísticas como música, performance, teatro e circo contemporâneo.

-PUB-

“Quisemos que o Alboroço fosse um ciclo desafiador de programação por acreditarmos na capacidade destes públicos em abraçar o novo ou a criação contemporânea, mas mais do que isso, sabíamos que esta era uma oportunidade de cruzar olhares outrora distantes, tão distantes quanto a geografia e o momento que empurram o interior para o seu interior”, afirma Nélson Lopes, sócio-gerente da Agência 3, organizadora do programa.

A pandemia da Covid-19 levou à paralisação de praticamente todo o setor cultural, deixando numa situação de grande vulnerabilidade artistas, estruturas culturais, técnicos independentes e muitos outros agentes das artes e do espetáculo.

Durante o último ano e meio, vários territórios ficaram sem grande oferta cultural disponível, especialmente aqueles que, em tempos de normalidade, já sofriam com a falta dessas mesmas dinâmicas de programação. Sem as romarias e os típicos arraiais de verão, sem as tradicionais festas de inverno, o silêncio tomou conta das aldeias do nordeste transmontano.

Foi neste contexto adverso que Nélson Lopes percebeu uma oportunidade. “Para podermos dar continuidade à nossa atividade teríamos que nos reinventar e encontrar soluções que dessem resposta aos desafios colocados pelas restrições impostas”, sublinha.

De uma conversa informal com Pedro Cepeda, da agência Transmute, e João Carvalho , da Wemedia,  surgiu a ideia da criação de um projeto que tivesse em consideração a democratização do acesso à cultura, que fosse fonte instigadora de novas reflexões sobre os territórios rurais do interior e que inspirasse releituras acerca da relação das comunidades com o espaço público, com o património e com a arte. Estavam lançadas as bases para a criação do “Alboroço” – Cultura em Circulação da Terra de Miranda.

“Após as primeiras sete apresentações, o balanço não podia ser mais positivo. Apesar do uso de máscaras não nos permitir ver os sorrisos, temo-los sentido através do olhar das pessoas que têm feito parte deste Alboroço e que nos têm dado conta da importância deste projeto para esbater o isolamento que a pandemia tem provocado nas aldeias”, garante Nélson Lopes.

O Alboroço está de regresso no dia 26 de julho, em Sendim, com um concerto influenciado pela música clássica e jazzística de UniVersus Ensemble. “Nuvem Voadora”, “Companhia Absurda”, “Boca de Cão” e “Ciranda” fazem também parte do programa que tem o seu epílogo em Miranda do Douro, no dia 4 de setembro, com um concerto do cantautor português JP Simões.

Alboroço – Cultura em Circulação na Terra de Miranda é um projeto promovido pela Agência 3 em colaboração com a Transmute e a Wemedia. Conta com o apoio do Ministério da Cultura e do Fundo de Fomento Cultural, no âmbito do programa Garantir Cultura, conta ainda com o apoio da Juntas de Freguesia e do Município de Miranda do Douro.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.