Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021
© DR

Alunos fizeram visita de estudo ao Porto

Os alunos de duas turmas do Agrupamento de Escolas Diogo Cão realizaram uma visita de estudo, que o levou, de barco, desde o Peso da Régua até ao Porto.

-PUB-

Esta visita, organizada de forma articulada entre docentes de várias disciplinas, teve como objetivos relacionar factos históricos com locais de visita/passagem, descobrir tipos de solos, identificar locais geográficos, calcular distâncias/percursos, visitar o Porto para se conhecerem alguns locais representativos, tais como a zona da Ribeira, a Igreja de São Francisco, o Palácio da Bolsa, a Torre dos Clérigos, a Avenida dos Aliados e a Estação de São Bento.

Os alunos puderam ficar a conhecer locais e percursos inigualáveis, de beleza singular, onde se destaca o rio Douro, um dos cursos fluviais “mais emblemáticos” de toda a Europa.
Na Ribeira, houve tempo para “apreciar a Ponte D. Luís, ouvir música de um artista de rua e apreciar a outra margem”. Seguiu-se a visita à Igreja de São Francisco, onde se ficou a conhecer “a sua história e as catacumbas”. Esta igreja, cuja construção foi iniciada em 1245, pelos frades franciscanos é considerada “um dos monumentos religiosos mais importantes da cidade do Porto”.

De regresso a Peso da Régua, em comboio, não houve a oportunidade de se observar, na sua totalidade, na antecâmara da Estação de São Bento, os famosos azulejos com cerca de 550 metros quadrados de superfície que representam cenas históricas como, por exemplo, o casamento de D. Filipa de Lencastre com D. João I, uma vez que o local está em obras de manutenção.

Os participantes consideram que a viagem “proporcionou, para além de momentos de cultura e de lazer, o reforço de laços de amizade entre todos, tendo sido um dia muito agradável dedicado a outras formas de aprendizagem”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.