Domingo, 27 de Novembro de 2022

Apresentado livro sobre a Diocese de Vila Real

“D. Manuel Vieira de Matos, pai da Diocese de Vila Real” é o título do livro da autoria do padre Jorge Fernandes que foi apresentado no auditório municipal do Peso da Régua

-PUB-

O título da obra refere-se ao título que foi dado a D. Manuel pelo primeiro bispo da nova diocese, fundada há cem anos, D. João Evangelista de Lima Vidal, e realça o papel fundador que teve na criação da nova diocese.

A data escolhida para a apresentação coincide com o aniversário do nascimento deste ilustre duriense, natural de Poiares, concelho do Peso da Régua, onde nasceu a 22 de março de 1861.

Este livro resulta da paixão e do trabalho de investigação histórica do padre Jorge Rosa Fernandes, pároco no Arciprestado da Terra Quente, no concelho de Valpaços.

A apresentação da obra coube ao cónego João Carlos Costa Morgado, do clero da vizinha diocese de Lamego, cuja presença neste dia no Peso da Régua reforçou os laços entre as duas dioceses “irmãs”.

De facto, as paróquias dos concelhos de Alijó, de Mesão Frio, de Murça, de Peso da Régua, de Sabrosa, de Santa Marta de Penaguião e também Abaças e Guiães do concelho de Vila Real, no total de 71 paróquias, em 1922, passaram da diocese de Lamego para integrar a nova diocese de Vila Real.

“D. Manuel Vieira de Matos, pai da Diocese de Vila Real” vem ajudar a perpetuar as raízes duma diocese ainda jovem, a conhecer melhor a sua história e a fazer memória do legado dos seus principais protagonistas.

A diocese de Vila Real comemora no próximo dia 20 de abril os 100 anos da sua criação e o lema escolhido para as comemorações é “crescer com raízes”

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.