Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022

Aziborne Extreme abre segunda edição em setembro

O evento desportivo conta com uma competição de corrida, canoagem, BTT e parapente, naquela que será a 2ª edição, a 3 de setembro.

-PUB-

O percurso estende-se por 73 quilómetros, entre a Albufeira do Azibo e a Serra de Bornes, com 14 quilómetros de corrida, quatro de canoagem, mais 52 Km de ciclismo (BTT) e, ainda, três mil metros de parapente. A iniciativa faz parte de “uma estratégia mais vasta destinada a tornar o Município de Macedo de Cavaleiros uma sementeira de novas dinâmicas, tanto turísticas como desportivas, económicas e sociais”.

A prova desportiva, pioneira em Portugal, “quer atrair não só cada vez mais participantes como adeptos e curiosos das modalidades radicais, sem esquecer aqueles que aproveitam todos os (bons) motivos para um contacto mais próximo com a natureza e a aventura”.

Inserido na programação de verão da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, e com os apoios da Estação Náutica macedense, o Clube de Ciclismo do concelho, Clube Atlético (secção atletismo) e o BôAr – Parapente Clube, o Aziborne Extreme “é uma atividade muito interessante, que junta quatro modalidades muito praticadas no nosso concelho”, refere o vice-presidente da Câmara de Macedo, Rui Vilarinho. “Tem muito potencial de crescimento, podendo servir como um excelente cartão de visita da região”, acrescenta.

A estreia do evento, que aconteceu em 2019, recebeu “cerca de 50 participantes em prova”. O regresso acontece agora, depois do interregno motivado pela pandemia de Covid-19.

No final, serão distribuídos prémios (por modalidade, etapa, geral e global) no valor total de cinco mil euros, sendo os mais avultados destinados às equipas.

 

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.