Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Bombeira ajudou parturiente a dar à luz

“Quando cheguei, o bebé já estava a sair! Mas correu tudo bem!”. Era manifesta a satisfação de Ana Carvalho, de 25 anos, Bombeira dos Voluntários de Peso da Régua, após ter colaborado num parto doméstico. Tudo aconteceu por volta das 3.30 horas de Sábado, quando os “Soldados da Paz” da Régua foram chamados, para acorrer […]

“Quando cheguei, o bebé já estava a sair! Mas correu tudo bem!”. Era manifesta a satisfação de Ana Carvalho, de 25 anos, Bombeira dos Voluntários de Peso da Régua, após ter colaborado num parto doméstico.

Tudo aconteceu por volta das 3.30 horas de Sábado, quando os “Soldados da Paz” da Régua foram chamados, para acorrer às dores de parto de uma mulher, de 35 anos, Sandra Teixeira Elias, residente em Sergude (Godim). De imediato, seguiu uma ambulância e três elementos: Rui Lopes, Bruno Pereira e Ana Carvalho.

Chegados ao local, constataram que Sandra Elias já estava em pleno parto. Foi então que Ana Carvalho fez com que o pequeno Edgar Elias, com 45 cm de comprimento e perto dos 2,5 kg, visse a luz do dia.

“A mãe já tinha feito muito esforço, estava bem e eu consegui ser útil, ao completar a saída do menino. Senti algum nervosismo, por ter sido o primeiro parto a que assisti, mas, depois, foi uma sensação maravilhosa de dever cumprido” – referiu Ana Carvalho. Por sua vez, Sandra Elias manifestou a sua gratidão pelo trabalho da Bombeira: “Ela surgiu na altura em que já estava no final do parto, mas a sua ajuda foi importante. São actos que dignificam”.

Depois de assistida, pelos Bombeiros de Peso da Régua e pela VMER do Centro Hospitalar de Vila Real, a parturiente seguiu para esta unidade, onde o seu filho teve de ser acolhido numa incubadora, devido a ser um parto prematuro (tinha oito meses de gestação). Porém, Sandra Elias manifestou algum descontentamento, pelo facto de, por volta das 22 horas da mesma noite, ter ido ao Hospital de Peso da Régua, com “dores abdominais”, alertando o médico em serviço, para possíveis sinais de parto, com este a dizer que eram “cólicas”, receitando-lhe medicamentos para as dores e mandando-a embora. Após algumas horas, ela própria quase que teve ser parteira dela própria.

De referir que o bebé agora nascido culminou seis tentativas de inseminação, agora coroadas com êxito.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.