Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Comboio Histórico do Douro regressa amanhã com lotação esgotada

O Comboio Histórico regressa, este sábado, à Linha do Douro, entre a Régua e o Tua, e a viagem inaugural tem a lotação de 254 lugares esgotada, avança fonte da CP – Comboios de Portugal

O Comboio Histórico do Douro está de regresso já amanhã. A campanha de 2022 prevê viagens todos os sábados, até 29 de outubro, e aos domingos, de 3 de julho a 9 de outubro.

A composição inclui cinco carruagens de madeira, datadas do início do século XX, com 254 lugares, e a locomotiva a vapor, percorrendo o percurso habitual pelo Património Mundial da Humanidade, entre o Peso da Régua (distrito de Vila Real) e o Tua (distrito de Bragança), com paragem na vila do Pinhão.

Fonte da CP disse à agência Lusa que a viagem inaugural tem a lotação esgotada. Antes da partida do comboio, na estação, há uma receção aos clientes e a bordo há animação com danças e cantares regionais.

Depois, no Pinhão (Alijó) os turistas podem observar os painéis de azulejos da estação e o abastecimento de água à locomotiva e, em Foz – Tua (Carrazeda de Ansiães), podem visitar o Centro Interpretativo do Vale do Tua.

O programa do Comboio Histórico na Linha do Douro arrancou no final da década de 90. Na campanha de 2021, que decorreu entre 5 de junho e 30 de outubro, viajaram no comboio histórico cerca de 7.800 passageiros, a que a que correspondeu uma taxa média de ocupação de 96%.

De acordo com a empresa, do universo dos clientes que realizou o passeio no ano passado, 90% foram turistas nacionais, pertencentes a todas as faixas etárias. Apesar do início da campanha ter decorrido sob certas restrições, impostas pela pandemia, a “procura atingiu níveis superiores aos registados em anos anteriores”.

Segundo a empresa, em 2018 e 2019 viajaram no Comboio Histórico do Douro, 6.190 e 5.420 clientes, respetivamente. Em 2020, devido à pandemia de covid-19 o programa sofreu condicionamentos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.