Quarta-feira, 24 de Julho de 2024
No menu items!




Criminalidade violenta e grave aumenta em 2022

A criminalidade geral aumentou 14,1% e a violenta e grave subiu 14,4% no ano passado em relação a 2021. Comparando com 2019, mantém-se a tendência descendente dos crimes graves e violentos.

-PUB-

Os dados são do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2022, analisado hoje no Conselho Superior de Segurança Interna, cuja reunião foi presidida pelo ministro da Administração Interna.

Em conferência de imprensa, o secretário-geral do Sistema de Segurança Interna (SSI), Paulo Vizeu Pinheiro, explicou que, para fazer a análise da criminalidade registada pelas forças e serviços de segurança em 2022, é “necessário existir uma comparação com 2019”, uma vez que 2020 e 2021 foram influenciados por medidas restritivas devido à pandemia da Covid-19.

No entanto, o RASI de 2022, que vai ser entregue na sexta-feira na Assembleia da República, mantém a estrutura de comparação anual. Paulo Vizeu Pinheiro adiantou que o ano 2022 apresentou um aumento da criminalidade geral na ordem dos 14,1%, com o registo de mais 42.451 participações relativamente a 2021, enquanto em comparação com 2019 se verificou uma subida de 2,5%.

Em relação à criminalidade violenta e grave, verificou-se, no ano passado, um aumento de 14,4% face a 2021, mas em relação 2019 houve uma descida de 7,8%.

“Em termos comparativos de pós e pré-pandemia, a tendência relativa a crimes graves e violentos prossegue ainda numa curva descendente”, afirmou, considerando que “importa manter os níveis de vigilância e evitar complacências”.

Entre os crimes que mais subiram em 2022 constam o roubo na via pública e roubo por esticão, que representam 53% da criminalidade violenta e grave, a violência doméstica, que subiu 15% em relação a 2021 (+3.968 casos), criminalidade grupal, com uma subida de 18% (+898 participações), e delinquência juvenil, que aumentou 50,6% em relação a 2021, com mais 567 participações.

[adrotate group="24"]

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS




Mais lidas

[adrotate group="3"]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS