Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Descuido e queimadas originaram 9 fogos florestais em mês e meio

Em Abril e até meados de Maio, o Comando de Destacamento da GNR de Peso da Régua registou, na sua área, nove fogos, na sua maioria rurais e florestais. Embora Peso da Régua não seja um concelho muito florestado, o certo é que uma vaga de incêndios inusitada tem atingido, essencialmente, o concelho, mormente em […]

Em Abril e até meados de Maio, o Comando de Destacamento da GNR de Peso da Régua registou, na sua área, nove fogos, na sua maioria rurais e florestais. Embora Peso da Régua não seja um concelho muito florestado, o certo é que uma vaga de incêndios inusitada tem atingido, essencialmente, o concelho, mormente em algumas das freguesias dos limítrofes, a norte e a sul. Só numa freguesia, Sedielos, e no mesmo local, Aldarete, as autoridades anotaram três incêndios. Outros dos concelhos também referenciados são os de Mesão Frio e de Santa Marta de penaguião. Porém, estes focos de incêndio consumiram pequenas áreas, na sua maioria com menos que 0,1 hectare, cada um. Segundo as autoridades, o descuido e a elaboração de queimadas estarão, supostamente, na sua origem. O Comando de Destacamento de Peso da Régua abrange os postos de Alijó, Mesão Frio, Santa Marta de Penaguião, Pinhão e Peso da Régua.

Precisamente no Sábado, os Bombeiros Voluntários de Peso da Régua, com a ajuda de uma técnica florestal, começaram a proceder, nas freguesias do concelho, ao apuramento do “Grau de Risco de Inflamabilidade”. Um dado que tem a densidade florestal de cada freguesia, como elemento importante de avaliação. Os intervenientes incidiram mais a sua atenção sobre as freguesias mais florestadas, nomeadamente Vinhós, Mouramorta, Sedielos, Loureiro, Canelas, Poiares e Galafura.

Este procedimento será extensivo a todas as corporações do distrito de Vila Real que farão a mesma avaliação.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.