Sábado, 2 de Julho de 2022

Discussão terminou com tiro mortal

Um homem, de 75 anos, atingiu, na segunda-feira, mortalmente, a tiro de pistola, um outro homem, de 33 anos, na aldeia de Ordonho, no concelho de Sabrosa. Tudo aconteceu por volta das 20.30 horas, no lugar da Azenha. Contou-nos Augusto Teixeira, irmão do autor dos disparos (Felisberto Teixeira) que “a vítima, Filipe Silva Rebelo, tinha […]

Um homem, de 75 anos, atingiu, na segunda-feira, mortalmente, a tiro de pistola, um outro homem, de 33 anos, na aldeia de Ordonho, no concelho de Sabrosa. Tudo aconteceu por volta das 20.30 horas, no lugar da Azenha.

Contou-nos Augusto Teixeira, irmão do autor dos disparos (Felisberto Teixeira) que “a vítima, Filipe Silva Rebelo, tinha estado a provocar a mulher do seu irmão, a quem terá mostrado os seus órgãos genitais”. Depois, foi confrontar, ainda, Felisberto Teixeira, quando este andava a arrancar ervas, num campo de batatas, a quem lhe terá dito “cabrão, hoje é o teu último dia!”, esboçado um gesto de quem ia tirar uma pistola do bolso, de grande calibre que, habitualmente, trazia”.

Foi então que, segundo a versão de Augusto Teixeira, o septuagenário terá disparado quatro tiros, sendo que um deles atingiu, no peito, o Filipe Rebelo”. Este, já a sangrar, ainda correu, aflito, cerca de duzentos metros, na direcção de sua mãe que se encontrava num terreno agrícola próximo, mas acabou, depois, por cair e morrer, antes de atingir o seu destino, dizendo ainda a sua mãe que ia morrer.

Há quem garanta, no povo, que “a mãe foi ao seu encontro, para lhe esconder a arma que as autoridades ainda não encontraram” e que, depois, o deixou abandonado, no caminho.

O idoso, depois de disparar, regressou a sua casa e ligou a um filho que é agente da PSP, comunicando-lhe o sucedido e alertando, ao mesmo tempo, as autoridades.

A pistola utilizada era de calibre 6,35mm que acabou por ser recolhida, tal como uma caçadeira que tinha em sua casa.

A morte do Filipe foi recebida com alguma indiferença, pelo povo de Ordonho. Fernando Pinto afirmou que “era um indivíduo agressivo, provocador e ameaçador. A aldeia andava aterrorizada com ele. O que lhe aconteceu estava previsto, para mais tarde ou mais cedo!”.

Ao que apurámos, atentava, muitas vezes, ao pudor das pessoas. Ainda no passado sábado, uma jovem, de 16 anos, foi alvo das suas acções, o que obrigou à intervenção da GNR de Sabrosa.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.