Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Distrito de Bragança representado na FNAJ

O mirandelense Tito Resende faz parte da nova direção da FNAJ - Federação Nacional das Associações Juvenis. Tomada de posse aconteceu este domingo.

Tito Resende, natural de Mirandela, integra a nova direção da FNAJ, liderada, agora, por Marco Santos, do Porto.
“Não podia recusar o convite, que me enche de orgulho”, confessa, acrescentando que “é o reconhecimento do trabalho que tenho vindo a desenvolver ao longo dos últimos 10 anos em prol do associativismo juvenil”.
E o orgulho é ainda maior tendo em conta que “desde que a FNAJ foi criada, em 1996, é a primeira vez que o distrito de Bragança está representado na direção”, sendo que “o plano nacional de juventude e o ano europeu da juventude são os projetos mais importantes a trabalhar”.
Tanto a eleição como a tomada de posse da nova direção aconteceram no âmbito do 18º Encontro Nacional de Associações Juvenis, que decorreu durante o fim de semana, em Vila Real de Santo António, um evento que contou com a presença do primeiro-ministo António Costa.

De referir que a FNAJ representa mais de mil associações que envolvem cerca de 500 mil jovens. Quanto a Tito Resende é presidente da Federação das Associações Juvenis do Distrito de Bragança Presidente, da ADAN – Associação de Defesa Animal do Nordeste e  da Ostentoriginalidade Associação Juvenil. Do seu currículo fazem também parte passagens  pela Federação das Associações Juvenis do norte de Portugal, enquanto vice-presidente, pela Escola Superior de Comunicação, Administração e Turismo (ESAcT) de Mirandela, onde exerceu o cargo de presidente da Associação de Estudantes, e ainda pelo Associação Académica do Instituto Politécino de Bragança (IPB), na qualidade de vice-presidente.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.