Sábado, 4 de Fevereiro de 2023
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Equipa de cardiologia implantou pacemaker mais pequeno do mundo

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) anunciou que a equipa de Arritmologia, do Serviço de Cardiologia, implantou o mais pequeno pacemaker do mundo, o 'Micra-AV leadless pacemaker', num doente com várias anomalias congénitas.

-PUB-

Em comunicado, o CHTMAD explicou que o dispositivo implantado “é 93% menor” do que os pacemakers tradicionais. “Trata-se de uma pequena cápsula, implantada diretamente no coração, mais propriamente no ventrículo direito, através de uma pequena incisão na pele”, realçando que esta nova intervenção “não deixa a cicatriz da cirurgia convencional”.

Com uma tecnologia que permite a sincronia auriculoventricular (AV), o Micra AV possui vários algoritmos adicionais de deteção auricular interna, que ao detetarem o movimento cardíaco, fazem com que o “dispositivo ajuste a estimulação no ventrículo para coordenar com a aurícula, promovendo, desta forma, a sincronia AV”, destaca a nota enviada às redações.

Além disso, explica o CHTMAD, o facto de não ter elétrodos, torna este dispositivo “menos suscetível a complicações a longo prazo, nomeadamente infeções ou disfunção dos elétrodos”.

Paulo Fontes, cardiologista responsável pela equipa de Arritmologia, “este novo modelo permite alargar o espectro de doentes candidatos a implante”, uma vez que inclui os “doentes com alto risco de infeção e/ou sem acessos venosos para implante de um sistema de pacemaker convencional”.

Por último, o CHTAMD, que tem unidades em Vila Real, Chaves e Lamego, realça que este novo procedimento “reforça a aposta na inovação e tecnologia” no centro hospitalar, considerando que esta “é uma mais-valia para todos os doentes que necessitem desta técnica”.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.