Sexta-feira, 24 de Setembro de 2021

Parada de Cunhos – Onde o rural e urbano se cruzam

Situada na margem direita do rio Corgo, a freguesia de Parada de Cunhos conta com uma área de aproximadamente sete quilómetros quadrados e quase dois mil habitantes

-PUB-

Situada na margem direita do rio Corgo, a freguesia de Parada de Cunhos conta com uma área de aproximadamente sete quilómetros quadrados e quase dois mil habitantes, de acordo com os censos de 2011. Das 20 freguesias do concelho de Vila Real, e desde a reorganização administrativa de 2012, Parada de Cunhos é a 17ª em área e a oitava em população residente. É formada pelas aldeias de Parada de Cunhos, Granja e Relvas.

Ponte romana, conhecida como ponte dos machados, inativada há cerca de cinco anos

Daniel Carvalho é presidente da junta há um ano, quando teve de assumir o cargo devido ao falecimento do então presidente Agostinho Chaves, que estava no seu último mandato.

O atual presidente admite estar a ser uma experiência “enriquecedora”, mas não estava à espera “que fosse tão trabalhosa”.

“É uma freguesia ainda muito rural e as freguesias rurais dão muito mais trabalho”. O autarca refere, também, que existem problemas “muito específicos”, como “a limpeza dos caminhos”. Mas há coisas boas como a questão da proximidade, levando a que “todos se conheçam”.

Sobre as gentes de Parada, Daniel Carvalho garante que “são muito bairristas”, lamentando, contudo, que o sejam só pela sua aldeia. “Isso faz com que seja difícil participarmos, por exemplo, nas Marchas Populares porque é difícil juntar pessoas. O mesmo acontece com o desfile de Carnaval, organizado pela câmara, e nesse nem participamos”.

Capela Nª Srª da Ajuda, em Relvas

Questionado sobre as fontes de rendimento da população, Daniel Carvalho indica que “há pouca indústria na freguesia, há uma serralharia, uma carpintaria e pouco mais. Existe muita agricultura, virada para a vinha, mas a maior parte das pessoas trabalha na cidade de Vila Real”.

E para dar melhores condições de vida às suas gentes e trazer a freguesia para o século XXI, o presidente da junta refere que “têm sido feitas algumas obras e pavimentações, mas ainda há muito por fazer, principalmente no que diz respeito ao saneamento que ainda não chegou a Relvas, por exemplo. Como é muito perto do rio, e a rede de saneamento corre no sentido contrário, está a ser difícil. A solução seria construir uma mini ETAR, por exemplo, que servisse aquela zona, mas isso não depende de nós e é um investimento avultado para o número reduzido de habitações”.

TURISMO

Parada de Cunhos está na rota da famosa Estrada Nacional 2 e Daniel Carvalho quer tirar partido disso.

“Queremos aproveitar a EN2 para divulgar a freguesia”, lembrando que “em tempos, houve na rotunda de Parada de Cunhos (junto à Tua Car) um posto da polícia de fiscalização, com uma balança, que foi, entretanto, desmontado”. O presidente quer voltar a montar o posto “colocando lá algo alusivo à Nacional 2” e deixa no ar a sugestão de “porque não os turistas poderem ir à Junta de Freguesia de Parada de Cunhos carimbar o passaporte? São ideias que tenho”, afirma.

O autarca refere, ainda, que “a freguesia também está na rota dos Caminhos de Santiago”, mas os peregrinos, atualmente, são levados a percorrer a estrada municipal que liga Relvas a Parada. Esse não é o verdadeiro caminho de Santiago, o original está intransitável e queremos recuperá-lo”.

 

Festas, Romarias e Gastronomia

Parada de Cunhos tem como padroeiro São Cristóvão, que dá nome à igreja matriz da freguesia.

Ainda assim, não há, atualmente, festividades em sua honra. “No concelho, só Parada de Cunhos e Mondrões é que não têm as chamadas festas da aldeia”, indica Daniel Carvalho.

Quanto à gastronomia, a freguesia “teve, em tempos, um restaurante muito famoso pela vitela assada e pelo cozido à portuguesa, que atraía muita gente, mas fechou”.

“Cantinho da Saudade”

Assim como acontece um pouco por todo o território do Interior, também em Parada de Cunhos se assiste a um êxodo da população, algo que o atual executivo quer mudar.

Sabemos que faz falta mais apoio para a juventude. Neste momento, e de forma a dar mais dinamismo à freguesia, estamos a tentar reativar uma associação que existia na Granja e estamos com projetos para recuperar as escolas das aldeias, que estão fechadas, mas isso exige tempo e dinheiro”, admite Daniel Carvalho.

Mas há mais projetos em mente como reativar as atividades desportivas e culturais da freguesia, nomeadamente o Grupo Cénico de Parada de Cunhos, o Grupo Desportivo e Recreativo e também o Grupo de Bombos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.