Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Estado vai financiar reposição de castanheiros em Carrazedo de Montenegro

Depois de um levantamento às zonas afectadas pelas intempéries do fim-de-semana de 24 e 25 de Agosto, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) garantiu que, apesar não haver apoios financeiros aos prejuízos na produção, o Estado “vai pagar a reposição do potencial produtivo”, cobrindo 75 por cento do valor necessário para […]

Depois de um levantamento às zonas afectadas pelas intempéries do fim-de-semana de 24 e 25 de Agosto, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) garantiu que, apesar não haver apoios financeiros aos prejuízos na produção, o Estado “vai pagar a reposição do potencial produtivo”, cobrindo 75 por cento do valor necessário para replantação dos castanheiros dos 30 hectares de área afectada, em Carrazedo de Montenegro.

Segundo declarações de Carlos Guerra, Director Regional de Agricultura do Norte, 70 agricultores de Carrazedo de Montenegro deverão ser abrangidos pelo apoio que prevê a comparticipação na reposição de mais de 700 castanheiros derrubados pelo mau tempo que afectou, ainda, Vila Flor, Mirandela e Penafiel.

O mesmo responsável explicou a impossibilidade de contabilizar, para já, o total das verbas em causa, uma vez que se trata de uma medida voluntária, o que quer dizer que os produtores podem ou não recorrer ao apoio, sendo de realçar que estes, para o fazer, deverão contactar a DRAPN, até ao dia 15 de Outubro.

Para os restantes prejuízos relacionados com a produção, os proprietários agrícolas deverão recorrer aos seguros de colheitas, sendo de registar que apenas “20 por cento dos agricultores lesados em Trás-os-Montes” tem o referido seguro.

Carlos Guerra enalteceu o “exemplo” dos agricultores de Penafiel que viram mais de metade da sua produção vinícola destruída e que serão ressarcidos por um seguro de colheita colectivo, cujos custos são subsidiados, em 75 por cento, pelo Ministério da Agricultura.

“A dimensão destes prejuízos não traduzem uma situação muito grave, salvo situações muito pontuais, devendo ser referidos como um testemunho, na sensibilização para a grande importância dos seguros agrícolas, como prevenção às condições climáticas aleatórias”, considerou o Governo Civil de Vila Real, num comunicado em que lembra que, “desde 1996, o Estado suporta, anualmente, cerca de 30 milhões de euros de seguros, respeitantes a esse sistema”.

No mesmo documento, o Governo Civil esclarece que os apoios para os prejuízos, nos soutos de Valpaços, uma área de 30 hectares, serão veiculados através da “Medida Cinco”, do Programa “Agro”.

 

MM

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.