Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

“Experiências únicas”

A CMTOUR nasceu em julho de 2014, com o objetivo de proporcionar aos turistas “algo nunca vivido e que a sua mente guardará para o resto da vida”.

-PUB-

É desta forma que se apresenta a empresa de Carlos Monteiro, criada para mostrar um Douro diferente a quem o visita. “Sentimos que havia falta de uma empresa que fosse às nossas raízes e origens. Mostramos aquilo que faz do Douro uma região diferente das outras, onde tentámos demonstrar como os pequenos, médios ou grandes produtores podem subsistir, sendo eles completamente diferentes”.

Depois de em 2019 ter sido o “melhor ano de sempre”, o empresário arriscou em abrir um restaurante à boleia da CMTOUR. “Em 2020, investimos em recursos para melhorar a nossa capacidade de resposta e adquirimos o restaurante The River. Depois veio a pandemia, em março, e obrigou-nos a parar tudo o que tínhamos programado”.

Depois de dois anos difíceis, Carlos Monteiro revela que a retoma chegou a “alta velocidade” e “não nos permite pensar ao mês, tem de ser gerido ao dia”.

Trabalham com plataformas que vendem para o mercado europeu e americano, em que “85% dos turistas vêm do Brasil, a partir de setembro e até março, o Douro é deles”, confessa, adiantando que também recebem muitos turistas dos Estados Unidos e do Canadá. “De mês para mês estamos sempre a crescer e a ultrapassar os números de 2019”, em que faturaram mais de um milhão de euros. “Com a Covid-19, registamos uma quebra significativa, passando de mais de um milhão de euros para os 250 mil euros faturados em 2021”.

Devido à instabilidade mundial, com a guerra na Ucrânia, Carlos Monteiro diz que não faz grandes previsões para o futuro, “vamos gerindo o dia a dia”.

“Se a inflação continuar a subir, sabemos que vamos sofrer quebras já em setembro e outubro, uma vez que as pessoas irão começar a cortar em viagens. Estamos na expectativa”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.