Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021
©DR

Flavitus com resultados positivos em Bragança

Bragança recebeu os Campeonatos Regionais de Absolutos, a Prova de Preparação de Infantis e o Torneio de Cadetes, da Associação Regional de Natação do Nordeste.

-PUB-

A equipa flaviense do Flavitus contou com a participação de sete atletas: Duarte Rosa e a Inês Guerra em Cadetes, Xiana Silva e a Leonor Guedes em Infantis, Rui Silva, Benedita Vieira e o Pedro César em absolutos.

Em termos de resultados, os jovens nadadores estiveram em bom plano, dado o número de atletas do clube que participaram.

De destacar o único atleta medalhado, Rui Silva em absolutos, nos 50 Mts Bruços com um 3º lugar, mas tendo a equipa obtido ainda 10 lugares de pódio nas categorias de cadetes e infantis, com quatro terceiros lugares por Duarte Rosa, um primeiro, um segundo e um terceiro lugar por Inês Guerra, em cadetes, e de um primeiro e dois terceiros lugares por Xiana Silva, em infantis. Apesar de alguns dos atletas terem atingido novos recordes pessoais, foi difícil conseguir arrecadar mais medalhas.

O treinador Pedro César mostrou-se “satisfeito” com as prestações dos atletas, mas lembrou o período difícil que a modalidade atravessa na região. “O balanço geral ébom, conquistámos apenas uma medalha em absolutos, mas nos escalões mais novos temos grandes indicadores de futuro. Para quem via e participava nestes campeonatos, custa encarar a realidade em que vivemos. Antes da pandemia, participavam o dobro dos atletas em prova. A pouca representação da nossa equipa, vai levar algum tempo a recuperar os números a que estávamos habituados”.

Mesmo assim, mostrou-se “contente” e “orgulhoso” com os seus atletas. “Mas ainda há muito para fazer e recuperar, pois para formar atletas ainda leva algum tempo.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.