Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Fogo em Murça possui uma frente ativa e lavra em zona sem acessos

O incêndio em Murça e Vila Pouca de Aguiar, no distrito de Vila Real, possui esta manhã uma frente de “12 a 15 quilómetros” e lavra numa zona “sem acessos”, junto ao rio, disse fonte da Proteção Civil.

-PUB-

O segundo-comandante distrital de operações de socorro de Vila Real, Artur Mota, num ponto de situação feito à agência Lusa esta manhã referiu que o fogo, que atinge os dois concelhos, continua ativo.

“Para já, as aldeias estão fora de perigo, mas o incêndio tem sensivelmente entre 12 a 15 quilómetros de frente que está ativa porque não tem acesso, está a arder em direção do rio [Tinhela]. Está de um lado e do outro do rio, em Vila Pouca de Aguiar e em Murça”, afirmou o Artur Mota.

O fogo lavra numa área de “essencialmente de mato”, mas já atingiu também pinhal.

O alerta para este incêndio foi dado pelas 16:40 de domingo, em Cortinhas, numa altura em que lavraram dois fogos em Chaves, também no distrito de Vila Real, o que, num primeiro momento, dificultou a projeção de meio para esta ocorrência. Este fogo evoluiu para Vila Pouca de Aguiar e o alerta foi dado às 19:49, na zona de Vales.

Artur Mota referiu que o fogo rodeou as aldeias de Cortinhas e de Vilares e, esta manhã, a “preocupação também é Carvas”.

No início da ocorrência verificaram-se situações de muita preocupação nas aldeias, mas não houve, segundo o comandante, retirada de populares.

“A disponibilidade do combustível é muita e, como tal, todas as casas que o incêndio apanha pela frente ficam em perigo”, apontou.

No domingo houve ainda o registo de dois bombeiros com ferimentos ligeiros, tendo sido levados ao hospital por precaução.

Para hoje perspetiva-se um dia de “muito trabalho”, com muitas preocupações devido às condições meteorológicas, como o vento forte e a humanidade baixa, bem como a disponibilidade de combustível, designadamente o mato muito seco.

“São condições extremas tanto para o combate, como para a progressão”, referir Artur Mota.

Para esta ocorrência estavam mobilizados às 08:00, no total de Murça e Vila Pouca de Aguiar, 212 operacionais e 70 viaturas.

O fogo que lavra em Bustelo, concelho de Chaves, mantém esta manhã uma frente ativa e, no terreno, estão a ser reposicionados os meios.

Nesta ocorrência estão 169 operacionais e 55 viaturas.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.