Sexta-feira, 7 de Maio de 2021

Freguesia rica em história e cultura

Especial Freguesias Mouçós e Lamares | Os 26 lugares, cada um com os seus costumes e tradições, dotam Mouçós e Lamares de um património histórico e cultural singular.

É aqui que se localizam, pelo menos, três monumentos classificados como imóveis de interesse público. São eles a Capela de Nossa Senhora da Piedade, a Capela de Nossa Senhora de Guadalupe e a ponte de Piscais.

Estes são apenas alguns dos exemplos da vasta arquitetura religiosa que embeleza cada recanto desta união de freguesias e que justificam o lema “Tanto por descobrir”, convidando a uma visita inesquecível. As várias festividades, que podem ser consultadas no website institucional, são outro cartão de visita de Mouçós e Lamares.

É aqui que se situa o Santuário de Nossa Senhora da Pena, palco de uma das mais belas e impressionantes romarias de Portugal, protagonizada, segundo argumentam os romeiros, pelo maior andor do mundo. “A Senhora da Pena é, para nós, um ícone de história e de cultura que atrai, todos os anos, muitos visitantes. É uma festa caraterizada pela dimensão dos andores, com mais de 23 metros de altura”, destaca o presidente da junta.

Mensagem
“Continuaremos empenhados em criar condições para que a freguesia cresça e continue a ser um bom sítio para viver.
Um agradecimento especial a todos os colaboradores, da junta de freguesia, pela sua disponibilidade
e apoio”
Hélder Afonso

Presidente da UF de Mouçós e Lamares

A romaria, que acontece sempre no segundo fim de semana de setembro, é conhecida pelos andores monumentais que são transportados, durante a procissão, por cerca de 100 homens.

Por este motivo, os andores já figuram no livro de recordes do Guiness e, em 2020, esta festividade chegou à semifinal das “7 Maravilhas da Cultura Popular”, uma candidatura promovida pela Junta de Freguesia de Mouçós e Lamares.

 

 

 

 

 

 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.