Sábado, 22 de Junho de 2024
No menu items!

Funcionário do Agrupamento de Escolas morre atropelado na A4

Jorge Filipe Veigas Carocha, de 43 anos, funcionário do Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar, morreu na noite de sexta-feira, depois de ter sido atropelado por outra viatura quando saia do carro para ver uma avaria.

-PUB-

O acidente aconteceu ao quilómetro 86,4 da Autoestada 4, em Parada de Cunhos, no concelho de Vila Real.

@DR

Em declarações à VTM, Orlando Matos, comandante dos bombeiros da Cruz Branca, explicou que a vítima tinha parado depois de ter detetado uma avaria na sua viatura em plena A4, depois de entrar no nó de Parada de Cunhos. “Depois de imobilizar a viatura, saiu para verificar a avaria. No mesmo sentido circulava outra viatura, conduzida por um jovem, que acabou por atropelar a vítima, que acabou por falecer no local”, confirmou o mesmo responsável, adiantando que o jovem ficou em choque com o sucedido.

O alerta para o acidente foi dado às 23h27 de sexta-feira, tendo sido mobilizados para o local vários operacionais e veículos, entre os quais os Bombeiros da Cruz Branca e Cruz Verde de Vila Real.

A GNR está a investigar as causas do acidente.

Entretanto, o diretor do Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar emitiu uma nota de pesar, lamentando a morte do Jorge Carocha. “É com enorme dor e tristeza que comunico o falecimento do Sr. Jorge Filipe Veigas Carocha, que exercia funções na portaria da Escola Sede do nosso Agrupamento de Escolas. O Sr. Jorge sorria – sorria sempre – e fazia-nos sorrir. E como nos conseguia contagiar. Quando há poucos dias, no seu 43.º aniversário, muitos de nós o puderam abraçar, não esperávamos que fosse a última vez. Não é justo, é uma crueldade partir sem mais um abraço, nosso caro Jorge!
Ao senhor Jorge, que injustamente partiu tão cedo, prestamos a nossa última e sentida homenagem. Aos seus familiares, assim como aos seus muitos amigos que partilham a nossa dor, apresentamos sentidas condolências”, escreveu o diretor José Rodrigues Teixeira.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS