Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Futebol feminino é a grande aposta da FPF

São cerca de 12 mil as meninas e mulheres que praticam futebol, à data de hoje. Os números foram avançados por Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

“Temos que fazer um esforço para atrair cada vez mais meninos e meninas para o futebol, mas principalmente meninas”, vincou.

O responsável falava em Vila Real, na sede da Associação de Futebol (AFVR), onde decorreu a cerimónia de entrega de placas e diplomas de certificação a 24 clubes, de um total de 28 que se propuseram ao processo, na época 2020/2021.

“É um processo complexo, mas com o trabalho de todos os nossos clubes têm conseguido entrar no mesmo. Em 28 conseguimos certificar 24, sendo que temos cerca de 49 clubes filiados”, indica António José Marques, presidente da AFVR, não tendo dúvidas de que “os clubes que forem mais organizados e mais competentes terão mais sucesso no futuro”.

Sobre o futebol feminino, o dirigente da AFVR explica que “na época 2019/2020 estávamos num crescendo muito significativo, mas os números abrandaram com a pandemia. É um caminho longo que temos para percorrer, que depende muito da mudança de mentalidades, do apoio dos pais e das meninas não terem receio de ir para os clubes”.

Um dos clubes que tem dado cartas no futebol feminino é o Abambres Sport Clube, embora a certificação que agora recebeu não tenha sido para esse escalão. “Tenho que pedir desculpa às nossas meninas, que ficaram em primeiro lugar no campeonato nacional de sub-19, e nós, por falta de tempo, não conseguimos avançar com o pedido de certificação para o futebol feminino. Mas fica a promessa que vai avançar, na próxima época”.

A VTM aproveitou ainda para questionar o presidente da FPF sobre o formato do Campeonato de Portugal, que tem gerado muita polémica. Fernando Gomes garante que “os clubes estavam informados sobre os moldes do mesmo” e que “foram criados fóruns de discussão. Se há opiniões diversas podem dar conta das mesmas em sítio próprio e depois serão analisadas”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.