Segunda-feira, 28 de Novembro de 2022

Indivíduo foi alvejado a tiro por causa de um cheque “careca”

Na segunda-feira, um indivíduo, de 36 anos, foi alvejado, no peito, com um tiro de caçadeira, ficando gravemente ferido. Ao que apurámos, tudo aconteceu no Bairro da ex-JAE, no lugar do Peso,pelas 21 horas, quando, segundo versão popular, o autor do disparo, um homem de 31 anos, conhecido como “João”, teria sido confrontado com ameaças, […]

-PUB-

Na segunda-feira, um indivíduo, de 36 anos, foi alvejado, no peito, com um tiro de caçadeira, ficando gravemente ferido. Ao que apurámos, tudo aconteceu no Bairro da ex-JAE, no lugar do Peso,pelas 21 horas, quando, segundo versão popular, o autor do disparo, um homem de 31 anos, conhecido como “João”, teria sido confrontado com ameaças, junto ao portão da sua residência, por um outro individuo, Manuel Soares Cardoso. Palavra puxa palavra e o “João”, das escadas da sua casa, munido de uma caçadeira de repetição de um cano, terá, alegadamente, disparado um tiro.

O presumível agressor terá confessado que foi alvo de extorsão de dinheiro, por ameaça, chegando a passar um cheque, em nome de Manuel Soares Cardoso. Porém, teria anulado, posteriormente, a emissão do cheque.

O ferido, residente no Bairro das Alagoas (Godim), não conseguiu, por tal, efectuar o levantamento do dinheiro, facto que o levou à tentativa de desforço.

A arma utilizada tinha documentação, mas o suposto autor do disparo não estava habilitado para o uso da arma que pertence ao seu avô.

O ferido foi transportado para o Centro Hospitalar Vila Real/Peso da Régua e o seu estado ainda inspira cuidados.

O “João” passou a noite no quartel da GNR de Peso da Régua e foi presente, no dia seguinte, no Tribunal Judicial desta cidade.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.