Domingo, 14 de Agosto de 2022

Jovens vigiam florestas do concelho

Até ao dia 30 de setembro, jovens voluntários reforçam a vigilância florestal no concelho de Boticas, com o principal propósito de detetar situações que possam originar fogos rurais.

-PUB-

Inseridos no programa “Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas”, promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), com o apoio da Câmara Municipal de Boticas, os jovens voluntários irão percorrer várias áreas pré-definidas pelo Gabinete Técnico Florestal da autarquia, em especial as zonas em que o risco de incêndio é mais elevado.

O objetivo é detetar situações que possam originar fogos rurais. Ao mesmo tempo, o programa do IPDJ visa a preservação da natureza, florestas e ecossistemas, a sensibilização das populações para a importância da salvaguarda das florestas, bem como a prevenção dos incêndios florestais, sobretudo, durante os períodos de risco elevado e máximo de incêndio rural.

Os jovens, no terreno desde o dia 1 de agosto, foram recebidos, na sexta-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelo vice-presidente da autarquia botiquense, Guilherme Pires.

Durante a sessão, de acordo com comunicado do município, “foram dadas informações sobre o funcionamento do programa e entregue material para as ações de vigia, nomeadamente binóculos e ‘flyers’, uma vez que os voluntários também vão desempenhar um papel pedagógico, sensibilizando as populações para a adoção de comportamentos ajustados ao nível de risco de incêndio diário”.

Tendo em conta a vasta área florestal existente no concelho, as ações de vigilância concentram-se, sobretudo, nas localidades de Pinho, Boticas, Carvalhelhos, Vilar, Sapiãos e Ardãos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.