Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022

Lamego já escolheu candidata para Rainha das Vindimas de Portugal

Mariana Pereira vai representar o Município de Lamego na Gala de Eleição da Rainha das Vindimas de Portugal 2022. Este evento decorre em Pinhel, no dia 17 de setembro, com a  promoção da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) e do Município de Pinhel.

-PUB-

Nesta 14º edição candidatam-se ao título de Rainha das Vindimas de Portugal 17 jovens que representam os municípios associados da AMPV, entre os quais o Município de Lamego.

Este concurso tem como objetivo “a preservação das tradições e da cultura rural mais genuína do povo português e a sua promoção e divulgação junto das gerações mais novas”, explica o município promotor. Para a edição de 2022 está confirmada a presença e participação de candidatas em representação dos municípios de Arcos de Valdevez, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Cadaval, Cartaxo, Lagoa, Lamego, Palmela, Peso da Régua, Pinhel, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Rio Maior, Santarém, Tábua, Torres Vedras e Viana do Castelo.

Já durante as Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, Mariana Pereira, de 24 anos, foi eleita Miss Rainha das Vindimas e Miss Lamego.

A apresentação de produtos alimentares regionais, uma entrevista com o júri e um “convite enoturístico” para visita ao território que representam, para além dos desfiles em traje tradicional e de gala, são as provas pontuadas pelo júri. Segundo refere, em comunicado, a câmara municipal de Lamego, a intenção deste evento “é sensibilizar, sobretudo a juventude, para a preservação e promoção das tradições e da cultura rural”.

Este ano é lançado, pela primeira vez, o prémio “A Mais Popular Online”. Até 16 de setembro, o público pode aceder a https://rainhadasvindimas.ampv.pt/ e votar na candidata preferida.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.