Quinta-feira, 6 de Maio de 2021
©DR

Mais oito mortes e 684 casos nas últimas 24 horas

Boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde indica que há uma diminuição no número de internamentos.

Portugal regista hoje mais oito mortes relacionadas com a covid-19 e 684 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), que também assinala uma diminuição no número de internamentos.

Segundo o boletim divulgado hoje pela DGS, estão internados 447 doentes em enfermaria, menos 12 do que na terça-feira, e 116 nos cuidados intensivos, menos dois.

Os dados revelam também que 660 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 786.469 o número total desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

Há 25.457 casos ativos em Portugal, mais 16 em relação a terça-feira.

Desde março de 2020, Portugal já registou 16.931 mortes associadas à covid-19 e 828.857 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19.

O número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde aumentou em 391 relativamente a terça-feira, totalizando agora 18.404.

De acordo com os mais recentes dados da DGS, Portugal tem atualmente 2.201.032 pessoas vacinadas contra a covid-19, das quais 605.533 já estão imunizadas com as duas doses.

O índice de transmissibilidade (Rt) do novo coronavírus em Portugal subiu hoje para 1,06 e a incidência de casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias atingiu 72,4, segundo dados oficiais.

Os números anteriores destes indicadores, divulgados na segunda-feira, apontavam para um Rt nacional de 1,04 e uma incidência de 70 casos por 100.000 habitantes.

Os dados do Rt e da incidência são atualizados à segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

Das oito mortes reportadas pelas autoridades de saúde, cinco foram registadas em Lisboa e Vale do Tejo e três na região Norte.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 188 novas infeções, contabilizando-se até agora 314.000 casos e 7.179 mortos.

A região Norte tem 265 novas infeções por SARS-CoV-2 e desde o início da pandemia já contabilizou 332.900 casos de infeção e 5.326 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 66 casos, acumulando-se 117.922 infeções e 3.004 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 43 casos, totalizando 29.465 infeções e 970 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve o boletim de hoje revela que foram registados 66 novos casos, acumulando-se 21.246 infeções e 355 mortos.

Na região Autónoma da Madeira foram registados 33 novos casos, contabilizando 8.904 infeções e 68 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm hoje 23 novos casos e contabilizam 4.420 casos e 29 mortos desde o início da pandemia, segundo a DGS.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 375.789 homens e 452.773 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 295 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.896 eram homens e 8.035 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.149 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.598 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.513 tinham entre os 60 e os 69 anos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.961.387 mortos no mundo, resultantes de mais de 137,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.