Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2022
© DR

Municípios com medidas extraordinárias para recolher votos

Municípios de todo o país estão a adotar medidas extraordinárias para as eleições legislativas tendo em conta a pandemia, como o aumento de mesas de voto antecipado, brigadas para recolher boletins de confinados e maior distância entre secções de voto

-PUB-

As eleições legislativas antecipadas realizam-se no dia 30 de janeiro, mas no dia 23 ocorre o voto antecipado em mobilidade. Em Boticas estão inscritos cerca de 7.500 eleitores e a garantia do presidente do município, o social-democrata Fernando Queiroga, é que “não ficará ninguém por votar” nestas eleições, quer esteja confinado ou requisite o voto em mobilidade.

Segundo explicou à agência Lusa, vai ser preparada uma mesa para o voto em mobilidade, que “deverá ser suficiente”, já que nas eleições presidenciais de 2021 apenas 17 pessoas votaram nesta modalidade.

Os autarcas consultados pela Lusa realçam que não é possível ter o número exato de equipas necessárias para a recolha de votos de pessoas em isolamento ou confinadas, já que este número depende da evolução da pandemia e os municípios só conhecerão o número de inscritos a partir do dia 24 de janeiro.

A este propósito, Fernando Queiroga disse que irão para o terreno as equipas necessárias, sendo que nas presidenciais foram precisas, apenas, duas equipas mistas para recolher os votos de 10 eleitores.

As eleições legislativas estão marcadas para 30 de janeiro. Porém, os cidadãos recenseados podem votar antecipadamente, no dia 23 de janeiro, numa mesa de voto em mobilidade escolhida por si, desde que o requeiram, o que pode ser feito através do portal www.votoantecipado.mai.gov.pt.

Já as pessoas em confinamento ou isolamento devido à covid-19 e outros impedidos de se deslocar à assembleia de voto no dia da eleição, como utentes de lares ou presos, podem pedir a recolha do respetivo voto na morada onde se encontram a cumprir confinamento, o que ocorrerá entre 25 e 26 de janeiro.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.