Segunda-feira, 4 de Março de 2024
No menu items!

Nota da Vigararia Geral da Diocese

As autoridades públicas têm dirigido apelos constantes aos cidadãos para todos colaborarem na prevenção e luta contra dos incêndios florestais. Também à Diocese foi feito expressamente um pedido análogo para que os párocos sensibilizem os fiéis para este perigo social. Já em Abril de 1996, a Conferência Episcopal publicou sobre este tema uma «Nota Pastoral» […]

-PUB-

As autoridades públicas têm dirigido apelos constantes aos cidadãos para todos colaborarem na prevenção e luta contra dos incêndios florestais. Também à Diocese foi feito expressamente um pedido análogo para que os párocos sensibilizem os fiéis para este perigo social.

Já em Abril de 1996, a Conferência Episcopal publicou sobre este tema uma «Nota Pastoral» lembrando os aspectos de natureza económica, social e religiosa implicados nos incêndios florestais e que justificam o empenho do cristão na luta contra os mesmos e na defesa da terra: «avultados prejuízos económicos actuais e durante vários anos, desaparecimento de água e desertificação das terras, aumento de temperatura e diminuição das chuvas pela ausência de vegetação, poluição do ar e dificuldades de respiração nos idosos e doentes, o sentimento constante de pânico e de abandono das populações rurais já martirizadas pelo despovoamento e pela invasão de animais estranhos e de caça que destroem as poucas culturas existentes, e a atitude de desprezo pela terra o berço natural dado por Deus ao homem».

Diz-se naquela Nota ser muito importante «o modo como se fala desta questão. É negativo falar-se dos incêndios como uma área meramente policial confiada a grupos assalariados, ou como uma fatalidade cíclica ou como espectáculo de multidões». Urge criar um sentimento de «solidariedade» de pessoas, das populações rurais e urbanas, dos meios de comunicação social e dos indivíduos, de proprietários e de estruturas oficiais.

Os párocos são assim aconselhados a fazer sobre esta ameaça a reflexão homiliética conveniente.

 

Vila Real, 12 de Julho de 2007

 

Vigararia Geral da Diocese de Vila Real

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.