Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

O Concelho e a Região homenagearam Camilo de Araújo Correia

O Salão Nobre da Casa do Douro foi palco, na tarde de Sábado, da homenagem ao Dr. Camilo de Araújo Correia, “o homem que construiu, ao longo de 50 anos, uma carreira brilhante, dedicada ao doente, a qualquer hora do dia ou da noite”. O espaço encheu-se daqueles que quiseram manifestar, com a sua presença, […]

O Salão Nobre da Casa do Douro foi palco, na tarde de Sábado, da homenagem ao Dr. Camilo de Araújo Correia, “o homem que construiu, ao longo de 50 anos, uma carreira brilhante, dedicada ao doente, a qualquer hora do dia ou da noite”.

O espaço encheu-se daqueles que quiseram manifestar, com a sua presença, o seu apreço, gratidão e admiração por um médico que deixou um rasto de profissionalismo e humanismo, em duas unidades de saúde da região: os Hospitais D. Luiz I e o de Lamego.

Na Mesa de Honra, a presidir à cerimónia, esteve o Presidente da Câmara Municipal de Peso da Régua, Nuno Gonçalves. O autarca não foi parco nos elogios a Camilo de Araújo Correia, nos motivos da atribuição da medalha “como não podia deixar de ser, foi aprovada, por unanimidade. Mas esta unanimidade não representa, somente, o sentir da autarquia, pois representa, também, o sentir de todo o nosso concelho e de toda a região…” e “ uma forma de reconhecer o trabalho, por si desenvolvido, em muitos hospitais da nossa região, através de uma disponibilidade total, numa carreira brilhante, pois era o melhor, em tudo o que fez, numa carreira longa, de meio século” – sublinhou.

Na Mesa de Honra, também marcaram presença o ortopedista José Mesquita Montes, Mário Mesquita Montes e Manuel António dos Santos, Presidente da Casa do Douro.

José Mesquita Montes, Director de Ortopedia do Hospital D. Luiz I, entre os anos de 1972 e 1984, através do seu discurso, elogiou, também, Camilo de Araújo Correia, tendo dito, a dado passo, que “com o seu esforço, contribuiu para a planificação e organização do Hospital de D. Luís I, durante anos, tendo sido um clínico brilhante, na Região. É este o Homem a quem foi prestado, finalmente, público tributo” – salientou.

Como seria de aguardar, a vida literária de Camilo de Araújo Correia não foi (seria impossível) esquecida, por Nuno Gonçalves.

“Camilo de Araújo Correia é, também, distinto, nas letras e na escrita. Por isso, igualmente merece ser homenageado, pois são muitas as lições que nos deu, no muito que escreveu e escreve”.

Camilo de Araújo Correia, de uma forma singela, agradeceu a todos, através da leitura de um texto, de sua autoria, que prendeu, de forma sublime, os sentidos de quem estava presente.

A cerimónia terminou, num rio de abraços que desaguou nos braços do “Dr. Camilo”, sensibilizado pelo calor humano de admiração que todos quiseram testemunhar-lhe.

Recorde-se que, nesse mesmo dia, celebrou-se o 50.º aniversário da inauguração das instalações actuais do Hospital D. Luiz I, o Hospital da Régua, onde o médico Camilo de Araújo Correia exerceu Medicina e onde foi um dos obreiros, nos tempos de vanguarda desta unidade hospitalar.

 

José Manuel Cardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.