Quinta-feira, 21 de Outubro de 2021

“Palmus-Partilhar” apoia idosos de três concelhos

É um dos maiores projectos em curso na região de ajuda social direccionada para a inclusão social e combate à pobreza. O PALMUS (Partilhar Alijó, Murça e Sabrosa) insere-se no âmbito dos CLDS (Contratos Locais de Desenvolvimento Social), e pretende desenvolver uma série de actividades nos três concelhos abrangidos pelo projecto.

-PUB-

Ao fim de um ano e três meses de actividade, este projecto tem assumido uma visibilidade activa importante na melhoria da qualidade de vida dos idosos e no apoio à empregabilidade.

O coordenador Ivo Oliveira elencou algumas das valências do “Palmus-Partilhar” e fez um balanço das iniciativas que já foram concretizadas. “Somos uma equipa que reparte a sua actividade por estes três concelhos, que têm na população envelhecida um dos seus principais problemas. Em Outubro de 2009, iniciamos de forma activa um conjunto de acções juntos dos idosos, nomeadamente o jogo do Boccia, onde já temos 442 praticantes e estamos a preparar o Campeonato Nacional de Boccia Sénior, que será realizado em Sabrosa, já em Fevereiro. Promovemos actividade física regular, que abrange 390 idosos todas as semanas. Fazemos passeios com os idosos, comemoramos o dia dos avós e do idoso, onde juntamos algumas centenas de pessoas, assim como nos convívios de Natal e do Carnaval. Todas estas actividades são feitas em parceria com os municípios e com outras instituições”.

Paralelamente, o “Palmus–Partilhar” tem levado a cabo um conjunto de intervenções no âmbito da empregabilidade. Em parceria com o Município de Murça, o Gabinete de Acção Social da autarquia foi todo remodelado e aí foi instalado o Gabinete de Empregabilidade e o Centro de Recursos, Qualificação e Integração. Em Alijó, foram efectuadas obras de requalificação no Gabinete de Acção Social e em Sabrosa foi requalificado um espaço na Associação Douro Histórico, destinado ao CLDS.

Ivo Oliveira mencionou ainda que vão disponibilizar o acesso à internet aos idosos. “Vamos levar as novas tecnologias às zonas mais rurais, onde teremos turmas de idosos com acesso à web. Semanalmente, já temos 255 idosos a utilizar as novas tecnologias”.

O eixo de famílias disfuncionais também é trabalhado no projecto, numa cooperação que envolve várias instituições escolares e autárquicas. Em Ano de Voluntariado, a sua promoção será um ponto assente e o coordenador do Palmus refere que serão criados três Bancos Locais de Voluntariado.

Quanto ao futuro, o objectivo da equipa passa “por manter e aumentar” os números já atingidos. Depois, pretendem sustentar as actividades desenvolvidas para além de 2012. Neste sentido, defendem a criação de uma Universidade Sénior em Sabrosa com uma influência regional.

Ivo Oliveira aproveitou ainda para deixar um apelo, “Não podemos deixar que a crise paralise esta intervenção social. Sabemos que este é um momento difícil de austeridade em que há cortes em diversos domínios, mas não nos podemos esquecer que temos um problema social grave nesta região, o problema do isolamento e de pobreza, por isso não podemos esquecer que temos estas carências”, concluiu.

Com este projecto do CLDS colaboram o Instituto de Segurança Social, Câmaras Municipais de Alijó, Murça e Sabrosa, juntas de freguesia, misericórdias e IPSS. Em termos de actividades, são abrangidas territorialmente um total de 4.000 pessoas. Recorde-se que, foi em Abril de 2009 que o então ministro do Trabalho e Solidariedade Social, Vieira da Silva, nas instalações do Governo Civil de Vila Real, presidiu à assinatura do Contrato Local de Desenvolvimento Social de âmbito supra-municipal com os concelhos de Alijó, Murça e Sabrosa. Este contrato vai até 2012, tem como entidade gestora a Associação Douro Histórico e pretende combater a pobreza, o isolamento ou a falta de emprego que afecta estes municípios durienses.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.