Sábado, 16 de Outubro de 2021

Pessoal não docente pode reforçar apoio a idosos

Os funcionários do Agrupamento de Escolas Gomes Monteiro poderão vir a reforçar as equipas da Santa Casa da Misericórdia que garantem o apoio e acompanhamento dos idosos da instituição.

-PUB-

No sentido de acautelar situações que possam vir a surgir por força das circunstâncias vividas no atual contexto do Estado de Emergência, motivado pelo surto de Covid-19, o presidente da Câmara Municipal de Boticas reuniu com o pessoal não docente do Agrupamento de Escolas, transmitindo-lhes que, no caso de necessidade, poderão vir a reforçar as equipas da Santa Casa que garantem o apoio e acompanhamento dos utentes da instituição. “Numa situação limite, e tal como determina a legislação que consolida o Estado de Emergência, poderá haver necessidade de colmatar a ausência de funcionários da Santa Casa da Misericórdia afetos ao cuidado dos mais idosos. Nesta situação, temos de estar preparados para poder dar resposta, já que estes utentes, pela sua dependência, não podem ser deixados sozinhos. Nestas circunstâncias, o pessoal auxiliar do Agrupamento, onde não existirão atividades letivas presenciais até ao final do presente ano letivo, constituirão a retaguarda que nos garantirá salvaguardar qualquer situação, o que, obviamente, esperamos não vir a ser necessário”, sublinhou Fernando Quiroga. 

Após a reunião, o pessoal não docente recebeu uma curta formação, conduzida pela enfermeira responsável do Centro de Saúde de Boticas, Cândida Eiras, e coadjuvada pelas enfermeiras Marta Teixeira e Marcela Miranda, relativamente às práticas a ter na prestação de cuidados aos mais idosos, em particular neste momento difícil que vivemos marcado pela Covid-19, bem como à adoção das medidas de segurança e prevenção do contágio.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.