Sábado, 2 de Julho de 2022

Posto de Turismo copnstruído em armazém secular vinhateiro

Recuperação de equipamento centenário para promover armazéns seculares vinhateiros Estimular a recuperação de cerca de trinta armazéns e mais de oitenta lagares de Gontelho é o objectivo de uma iniciativa que está orçada em cerca de trezentos mil euros. A iniciativa pertence à Associação para o Desenvolvimento Social e Rural da Freguesia de Covas do […]

Recuperação de equipamento centenário

para promover armazéns seculares vinhateiros

Estimular a recuperação de cerca de trinta armazéns e mais de oitenta lagares de Gontelho é o objectivo de uma iniciativa que está orçada em cerca de trezentos mil euros. A iniciativa pertence à Associação para o Desenvolvimento Social e Rural da Freguesia de Covas do Douro.

 

Um armazém vinhateiro centenário, em xisto, está a ser recuperado, em Covas do Douro, para acolher, este ano, um Centro de Recepção e Animação Turística. Este equipamento terá como objectivo promover e estimular a zona onde está situado um conjunto de cerca de trinta armazéns e mais de oitenta lagares, alguns datados do Séc. XVI, na zona de Gontelho. A promotora desta obra é a Associação para o Desenvolvimento Social e Rural da Freguesia de Covas do Douro, cujo Presidente, Pereira Pinto, está esperançado em que “será um incentivo, para a recuperação dos velhos lagares, pelos seus donos e pela maior procura e visibilidade que a zona do Gontelho vai ter”.

Este posto será integrado em rota pedestre turística e na Rota do Vinho do Porto. Figurará como local de interesse, no âmbito do Museu do Douro. Este centro de acolhimento terá uma sala de recepção, provas de vinho, um espaço para palestras, vídeos da região duriense, instalações sanitárias, bar e um local onde os visitantes poderão provar os vinhos dos lavradores locais e da região”. Tudo isto tendo como elementos integrantes dois lagares, em granito, adaptados para o efeito e que serão atracção.

“Estou convencido de que toda a zona do Património Mundial deverá ser tratada com esmero e cuidado e se há um património que honra, memoriza e perpetua uma região, sem dúvida que os lagares do Gontelho são um deles, bem como os seus armazéns” – acrescentou Pereira Pinto.

Os seculares armazéns do Gontelho pertenciam a pequenos e grandes lavradores, onde produziam o seu vinho. Eram armazéns com capacidade de 10 a 100 pipas. Começaram a ser abandonados, há cerca de quarenta anos, quando os seus proprietários começaram a ver que não valia a pena produzir vinho, por questão de custos. Assim sendo, a degradação começou, quando os seus donos começaram a vender as uvas às Casas Exportadoras.

A área do Gontelho faz parte do Património Mundial.

A obra nasceu da aprovação de uma candidatura aprovada no âmbito da AIBT Douro, com a designação de “Homem, Vinha e Rio – A alma rural do Douro”. O custo do projecto é de 299.749,16 euros, sendo comparticipado com 75% de Fundos Comunitários (224. 845.62 euros), com a Câmara Municipal de Sabrosa a financiar o restante. Começou em meados de 2006 e vai terminar antes do Verão deste ano.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.