Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021
©Arquivo VTM

Projeto de valorização de resíduos para produção de hidrogénio premiado

WASTE2HYDROGEN é o nome do projeto vencedor do “Prémio Investigação BioAdvance” que foi selecionado a 21 de junho. Este projeto visa a valorização energética dos resíduos de instalações agropecuárias para a produção de hidrogénio e de energia térmica para o processo.

-PUB-

Promovido por uma equipa multidisciplinar, que integra investigadores dos vários Centros de Investigação da UTAD, liderada por Amadeu Borges, vai aplicar o prémio no valor de 10 mil euros “no desenvolvimento de uma solução que permita a valorização em termos energéticos dos resíduos agropecuários, produtos com elevado impacte ambiental, nomeadamente as águas sujas (fase liquida) que serão valorizadas através da geração de hidrogénio utilizando um eletrolisador solar e, simultaneamente, a utilização do gás de pirólise da fase sólida, como fonte de energia auxiliar e como fonte adicional de hidrogénio”.

O Concurso “Prémio de Investigação BioAdvance” decorreu de 1 a 30 de maio deste ano e visou premiar os trabalhos de Investigação na área da produção de biocombustíveis e áreas afins, ligadas às matérias primas que vêm descritas na Diretiva das Energias Renováveis (REDII) para combustíveis avançados.

O prémio foi criado no âmbito do Protocolo de Mecenato com a BioAdvance, empresa de antigo estudante de Engenharia Ambiental e dos Recursos Naturais, da UTAD,  que opera na área da produção de Biocombustíveis avançados, que tem como como objetivo a “promoção de iniciativas que contribuam para a promoção e desenvolvimento de trabalhos nas áreas científicas e tecnológicas da Diretiva Renováveis (REDII), em particular na área das matérias primas para combustíveis avançados”, como é exemplo do vencedor deste prémio.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.