Quarta-feira, 7 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Seca trouxe quebras e grandes desafios

Adegas durienses estavam à espera de números mais negativos, que não se vieram a confirmar. No entanto, no horizonte já está a próxima vindima, que traz grandes desafios à região demarcada mais antiga do mundo. A falta de mão de obra, a inflação, a idade avançada dos viticultores e o parcelamento são algumas das preocupações destes atores fundamentais do Douro

PUB

Com os cestos das vindimas arrumados, as contas finais no Douro ainda não estão fechadas. No entanto, já é possível fazer um balanço de um ano atípico, onde o calor fez estragos.

Em geral, a colheita foi menor do que no ano passado. Houve sub-regiões, como nas zonas altas do Cima Corgo que conseguiram ter um aumento residual, outras que atingiram perdas de 15%, mas onde se sentiram maiores quebras foi na sub-região do Douro Superior, na ordem dos 30%.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.