Segunda-feira, 14 de Junho de 2021
©DR

Teatro foi ao Agrupamento de Escolas Diogo Cão

À semelhança do que tem acontecido em anos anteriores, a Companhia Profissional de Teatro “Educa” apresentou duas peças teatrais, às turmas do 5º e 6º anos, do Agrupamento de Escolas Diogo Cão.

-PUB-

O principal objetivo desta atividade consistiu na sensibilização e motivação dos alunos para a educação literária e para o desenvolvimento cívico dos mesmos, tornando-os cidadãos civicamente responsáveis.

Neste caso concreto, foram apresentadas duas obras que integram as metas definidas para o 2.º ciclo de escolaridade. Relativamente ao 5.º ano, os alunos assistiram à encenação da obra “O Príncipe Nabo” de Ilse Losa, cujo intuito se prende com a importância dos valores essenciais à nossa vida. Aspetos como os nomes dos pretendentes da princesa e as situações constantes de pedido e de recusa da sua mão, bem como a presença singular do bobo, contribuíram fortemente para a construção humorística, que tão bem se refletiu nesta peça.

No que diz respeito ao 6.º ano de escolaridade, a encenação da obra “Ulisses” da ilustre Maria Alberta Menéres, uma referência literária dos nossos tempos, deu-nos a conhecer a história do regresso de Ulisses a casa, após dez anos de guerra com os troianos.

Nesta viagem muitas peripécias aconteceram. Ele enfrenta ciclopes, é tentado por sereias, encontra a feiticeira Circe e a sua mãe, já morta, na ilha dos Infernos. Somente dez anos depois, Ulisses chega ao seu destino, onde enfrenta os pretendentes ao seu trono, exigindo a Penélope a escolha de um novo rei. Felizmente tudo acabou bem!

Os alunos “participaram com empenho e interesse na atividade que lhes proporcionou momentos de interação constante com os atores da companhia. O balanço que se faz é, indubitavelmente, positivo”.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.