Sábado, 16 de Outubro de 2021

Um milhão de euros para limpar o Douro

Alguns concelhos transmontanos, situados na zona ribeirinha ao Douro, vão ser alvo de várias intervenções que visam corrigir intrusões e/ou disfunções paisagísticas que constituem “manchas” numa paisagem excepcional. Tudo isto está previsto num projecto da Resíduos do Nordeste, EIM, numa candidatura já aprovada e com financiamento de cerca de um milhão de euros, no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte 2007-2013.

-PUB-

A assinatura do contrato de financiamento decorreu na sexta-feira, no Auditório do Centro de Apoio Rural de Carrazeda de Ansiães. O VALOR DOURO tem como objectivo recuperar depósitos clandestinos de resíduos sólidos, nomeadamente urbanos, indiferenciados, de construção, demolição e utensílios domésticos fora de uso. Serão ainda removidos e desmantelados embarcações e veículos abandonados, para que as margens do rio Douro fiquem limpas e requalificadas.

Existem diversos resíduos sólidos ao longo das vias de comunicação, há sucatas abandonadas e este projecto irá ajudar à eliminação deste tipo de deposição clandestina.

O projecto da Resíduos do Nordeste, EIM, já tinha sido apresentado em Abril de 2009, numa candidatura no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte 2007-2013, Turismo Douro – Infra-estrutural, tendo por base os objectivos subjacentes ao Plano de Desenvolvimento Turístico do Vale do Douro para a preservação do património ambiental e desenvolvimento rural e local.

O VALOR DOURO vai abranger os concelhos de Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Miranda do Douro, Mogadouro, Torre de Moncorvo, Vila Flor e Vila Nova de Foz Côa.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.