Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021
© Arquivo VTM

Valpaços é o concelho com mais casos ativos da região

De acordo com o boletim epidemiológico de ontem, Valpaços registou mais três novos casos de covid-19, sendo o concelho do Alto Tâmega com o maior número de casos ativos. O município apela, por isso, à responsabilidade de todos

-PUB-

Segundo comunicado da autarquia local, “o concelho de Valpaços regista dez novos casos em fase ativa, sendo mesmo o concelho da região do Alto Tâmega e Barroso com o maior número de novos casos” associados à covid-19.

Temendo uma possível quinta vaga já em dezembro, Amílcar Almeida, presidente da Câmara Municipal valpacense, apela à responsabilidade de todos. “Não há razões para entrarmos em pânico, muito menos devemos deixar de “fazer” a nossa vida, desde que respeitemos as regras de segurança sanitária emitidas pela Direção-Geral da Saúde”.

Neste sentido, “devemos estar atentos ao surgimentos de sintomas compatíveis com a covid-19. Se apresenta sintomas, é fundamental testar. O teste não evita a doença, mas protege todos”, alerta o autarca.

Amílcar Almeida aproveitou para relembrar que “a responsabilidade de termos um concelho “seguro” é só e apenas nossa. O controlo e combate à pandemia depende do comportamento individual de cada um de nós”, pelo que apela à população que adote “medidas de segurança responsáveis que ajudem a controlar a propagação” do vírus, como higienização das mãos, utilização de máscara e manter o distanciamento físico.

De acordo com o boletim epidemiológico de ontem da Unidade de Saúde Pública do ACES do Alto Tâmega e Barroso, há, na região, 26 casos ativos de covid-19, mais oito que na passada sexta-feira. Montalegre é o único dos seis concelhos sem casos ativos. Desde o início da pandemia, em março de 2020, faleceram 161 pessoas na região.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.