Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

Virgul é cabeça de cartaz nas Festas de São Pedro

Dois anos depois, as festas de São Pedro estão de regresso a Macedo de Cavaleiros no próximo dia 29 de junho. Virgul é o cabeça de cartaz.

As Festas de S. Pedro estão de regresso a Macedo de Cavaleiros, depois de dois anos de interrupção, devido à pandemia de Covid-19. Para Benjamim Rodrigues, presidente da autarquia, este é “um dos momentos marcantes para os macedenses e, em particular, para os comerciantes e produtores do nosso concelho, que têm nesta feira uma excelente montra para se promoverem e promoverem os seus produtos”.

A 37ª Feira de São Pedro arranca a 29 de junho, feriado municipal, com a inauguração da Feira de Antiguidades e Velharias pelas 09h00, no Largo dos Segadores, seguindo-se, às 11h00, a tradicional missa campal e a procissão. A meio da tarde (16h00) será inaugurada a primeira “Linha de Água” – Bienal de Arte Contemporânea de Trás-os-Montes, estando a abertura oficial da feira agendada para as 18h30.

Ao longo dos cinco dias em que decorre a Feira de São Pedro – 29 de junho a 3 de julho – estão previstas diversas atividades culturais e de lazer, como a Caminhada de São Pedro, o Moto-Foto-Rally ou a regata de canoagem de São Pedro. Destaque ainda para o tributo a Roberto Leal, artista nascido em Vale da Porca, que acontece a 1 de julho.

“Não é ainda o regresso aos tempos pré-pandémicos, mas acreditamos que é um primeiro passo nesse caminho e, sobretudo, um importante impulso à economia local”, frisa Benjamim Rodrigues.

O artista Virgul, que atingiu o estrelato com os Da Weasel, é o cabeça de cartaz destas festividades. “Dividir Amor”, “Rainha” e “Só eu sei” são alguns dos temas mais populares, que podeão ser ouvidos no dia 2 de julho, a partir das 22 horas, no Parque Municipal de Exposições.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.