Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022
© Arquivo VTM

AMDS quer três municípios nos sistemas de saúde de Vila Real

O presidente da Associação de Municípios do Douro Superior (AMDS) defendeu a integração de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta e Carrazeda de Ansiães nos sistemas de saúde com sede em Vila Real

-PUB-

“Ponho em causa se os concelhos de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta e Carrazeda de Ansiães (distrito de Bragança) devem continuar a pertencer à Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste. Desde logo, estes municípios, não têm a participação nem a votação para indicar qualquer membro da direção da ULS Nordeste e com nova territorialização, já que pertencem à CIM Douro, deveriam estar adstritos a Vila Real e não a Bragança”, explicou à Lusa Nuno Gonçalves.

A ULS do Nordeste abrange 12 concelhos do distrito de Bragança, dos quais nove pertencem à Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes, e três à do Douro.

“A legislação em vigor retira a estes três concelhos a possibilidade de ter qual papel interventivo na estrutura própria da ULS Nordeste”, vincou o também presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, o social-democrata Nuno Gonçalves.

A posição tomada pelo autarca surge após uma nota divulgada pela AMDS, em que dá conta de que os oito concelhos que a integram vão reivindicar ao governo o alargamento do horário dos centros de saúde da sua área de intervenção, que abrange nove concelhos do distrito de Bragança e Guarda, durante mais duas horas, passando o encerramento das 22h00 para as 00h00.

“Esta proposta de alargamento do horário foi feita pelo presidente da Câmara de Freixo de Espada à Cinta, Nuno Ferreira, na última assembleia intermunicipal, e dizia respeito ao centro de saúde desta vila, e mereceu aprovação por unanimidade por parte de todos os autarcas da área da associação”, indica a AMDS, em comunicado.

Com esta medida pretende-se que as populações que residem em concelhos em que os centros de saúde encerram às 22:00 possam ter acesso alargado, até às 00:00, a cuidados básicos de saúde, que possam ser prestados no próprio concelho de residência”, refere a mesma nota.

Nuno Gonçalves refere, ainda, estar solidário com o autarca de Freixo de Espada à Cinta, acrescentando que já algum tempo que tem vindo a afirmar o “descontentamento da forma como estes três municípios participam na gestão da ULS Nordeste”.

“Temos de rumar, de uma vez por todas para os poderes da situação territorial de cada município. Provavelmente, estes três municípios ficavam melhor integrados em Vila Real”, indicou o autarca transmontano.

A AMDS tem sede no concelho de Torre de Moncorvo e, para além deste município, esta estrutura intermunicipal integra os concelhos de Carrazeda de Ansiães, Miranda do Douro, Mogadouro e Freixo de à Espada, no distrito de Bragança, bem como Vila Nova de Foz Côa, Figueira de Castelo Rodrigo e Mêda, da Guarda.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.