Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Aplicação móvel do Centro Hospitalar irá permitir teleconsultas

Chama-se ‘MyCHTMAD’ e já está disponível para instalar nos telemóveis, computadores ou tablets. Está também a ser testada nas juntas de freguesia de Vila Pouca de Aguiar para aproximar os utentes ao Centro Hospitalar

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) lançou uma aplicação móvel, designada ‘MyCHTMAD”, que permite aos utentes, a partir do telemóvel, computador ou tablet, o acesso à sua agenda de consultas, tratamentos, exames, etc. Podem ainda efetuar agendamentos ou cancelamentos de consultas marcadas, descarregar declarações de presença e consultar o seu histórico clínico.

A aplicação também permite a consulta de taxas moderadoras em dívida, de notícias e outras informações úteis.

Segundo Elsa Justino, vogal do conselho de administração, a aplicação “vem melhorar, de forma significativa, a comunicação dos utentes com o centro hospitalar”, acrescentando, ainda, que durante estes últimos anos, o Centro Hospitalar “tem vindo a efetuar uma série de melhorias nos serviços, nomeadamente com a criação de um Centro de Contactos e a instalação de Quiosques, de forma a facilitar o acesso ao público”.

Já para Victor Costa, diretor do Serviço de Gestão de Informação (SGI), esta solução “torna evidente a mais-valia em colocar à disposição da população as novas tecnologias de informação”, por esse motivo, “o SGI encontra-se a preparar novas funcionalidades para a aplicação”.

O conselho de administração revela que a MyCHTMAD “é um novo serviço mais próximo e mais cómodo, que evita deslocações e facilita o contacto do utente com o CHTMAD e com os seus profissionais”.

A aplicação móvel pode ser descarregada gratuitamente nas plataformas Google Store, APPstore, ou no computador através do link: https://my.chtmad.min-saude.pt. O utente pode fazer o seu registo com a chave móvel digital ou com o número de telemóvel e número de utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

TELECONSULTAS

Numa parceria entre o CHTMAD e o município de Vila Pouca de Aguiar, a aplicação MyCHTMAD vai chegar às freguesias do concelho, com o objetivo de permitir aos utentes o acesso a serviços básicos de saúde de forma remota.

“É uma via opcional, uma alternativa ao telefone, por exemplo, que tantas vezes é problemático”
Manuela Castanheira
Vereadora da
CM Vila Pouca de Aguiar

Para além de divulgar o novo serviço digital, esta colaboração irá permitir a realização de teleconsultas nas várias juntas de freguesia do concelho, como explicou à VTM a vereadora com o pelouro da saúde na câmara aguiarense. “Nesta fase, estamos a divulgar este serviço, mas as teleconsultas já foram testadas e são um objetivo a curto-médio prazo, em que estamos a implementar o balcão SNS24 com a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte”, salientou Manuela Castanheira, adiantando que está também aberto um canal, através da plataforma MySNS, para acesso a algumas especialidades hospitalares, o que “irá evitar deslocações do utente ao centro de saúde ou ao hospital no futuro”.

Na Junta de Freguesia do Bragado e do Alvão, as teleconsultas já foram testadas com sucesso, acrescentou a vereadora, que acredita que possam ser colocadas ao serviço da população “num futuro muito próximo”.

Manuela Castanheira revelou que, neste momento, “estamos a divulgar a aplicação do Centro Hospitalar junto de todas as juntas de freguesias. Queremos colocar o utilizador no centro do serviço de maior proximidade que o hospital está a tentar prestar. É uma via opcional, uma alternativa ao telefone, por exemplo, que tantas vezes é problemático”.
Como a maioria da população ainda “não está preparada” para trabalhar com este tipo de ferramentas, a ideia “passa por ter um mediador/facilitador nas juntas de freguesia para as teleconsultas de cuidados de saúde primários (através do balcão do SNS24) e criar, também, essa figura quer no âmbito da aplicação, quer da parceria com o Centro Hospitalar”, sustentou a vereadora, que prevê que este serviço tenha um “impacto positivo na população mais vulnerável”.

A formação personalizada nas Juntas de Freguesia já está no terreno em que os mediadores/facilitadores “terão a responsabilidade de participar ativamente no envio de sugestões de melhoria da aplicação, para melhorar as respostas às necessidades da população, identificando problemas ou sugerindo o desenvolvimento de novos serviços”, concluiu a mesma responsável.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Começou a colaborar com a VTM na secção de Desporto e na revisão. Em 2014 passou a integrar a equipa permanente como jornalista.

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.

MAIS LIDAS

-PUB-

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes
-PUB-