Segunda-feira, 20 de Setembro de 2021
©DR

Associações do Planalto Mirandês com protocolo renovado

A Movhera, a nova concessionária das seis bagagens transmontanas, renovou por quatro anos um protocolo com o "Grupo Nordeste", uma entidade que engloba três associações de defesa do meio ambiente do Planalto Mirandês.

-PUB-

“Os três protocolos estabelecidos com as três associações irão monitorizar e assegurar as Medidas Ambientais implementadas para mitigar ou compensar o impacto das barragens do Baixo Sabor e Feiticeiro”, disse à Lusa fonte oficial da Movhera.

A empresa pretende, desta forma, contribuir para “proteger o meio ambiente e a biodiversidade do território do Baixo Sabor que integra os concelhos de Torre de Moncorvo, Alfândega da Fé, Mogadouro e Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança.

Este protocolo assinado com Grupo Nordeste engloba a Associação dos Produtores Florestais do Nordeste Transmontano (APFNT), Associação dos Proprietários de Pombais Tradicionais do Nordeste (PLOMBAR), Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino (AEPGA).

“Destas medidas descascam-se a manutenção de áreas florestais e a sua proteção contraincêndios, programas de proteção de espécies que habitam a zona de impacto dos reservatórios: aves de rapina, mamíferos aquáticos (lontra, e toupeira-de-água), morcegos, lobos”, indicou a fonte.

Através destas iniciativas, a Movhera “orgulha-se de contribuir para a proteção do meio ambiente e da biodiversidade da região onde estão instalados os seus ativos, bem como de desenvolver o emprego local”.

“Os trabalhos protocolados asseguram 16 postos de trabalho neta região do Planalto Mirandês (Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso) “, indica a nova concessionária das seis barragens situadas na bacia hidrográfica do Douro.

Miguel Nóvoa, coordenador do Grupo Nordeste, disse que a preferência da Movhera pela escolha de entidades locais ligadas ao desenvolvimento sustentável só demonstra uma atitude positiva e construtiva para o desenvolvimento sustentável com base no potencial natural do território.

“Este investimento reverte na sua maioria para a região, através de aquisição de consumíveis e materiais diversos é importante para a economia local e ao mesmo tempo ajuda a fomentar a fomentar a criação de emprego”, garante o dirigente.

Este protocolo com a nova entidade concessionária das seis barragens da bacia hidrográfica do Douro é, na opinião de Miguel Nóvoa, uma aposta no conhecimento deste território do interior profundo que por vezes é esquecido em detrimento de outras opções geográficas.

O consórcio da Engie, Crédit Agricole Assurances e a Mirova, que comprou seisbarragens à EDP por 2,2 mil milhões de euros, criou a marca Movhera para atuarno negócio, em Portugal.

A Assembleia Geral da Movhera, a nova concessionária das seis barragens transmontanas validou a transferência definitiva da sede da empresa do Porto para Miranda do Douro em 31 de março de 2021.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.