Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2021

Bispo publica nomeações para o Centro Católico de Cultura

«Somos igreja que aprofunda as suas raízes» é o tema do ano pastoral 2020/2021.

-PUB-

O bispo de Vila Real fez nomeações para o Centro Católico de Cultura (CCC) da diocese, em atividade há cerca de 30 anos na formação permanente dos leigos e sacerdotes, apontando ao pós-pandemia.

D. António Augusto Azevedo nomeou para o triénio 2020/2021-2023/2024, o padre Manuel Coutinho como presidente da direção do CCC; os padres Márcio Martins e Hélder Libório, respetivamente secretário e tesoureiro; e como vogal o diácono Paulo Santos.

Para o conselho consultivo do Centro Católico de Cultura, o bispo de Vila Real escolheu os padres António Canavarro, Manuel Costa, Hélder Sá e João Curralejo.

‘Somos igreja que aprofunda as suas raízes’ é o tema-geral da formação no CCC no ano pastoral 2020/2021 e a Diocese de Vila Real propõe a reflexão bíblica ‘Igreja, povo da nova aliança’.

O Centro Católico de Cultura vai também dinamizar formação na Escola de Ministérios Litúrgicos para salmistas, acólitos e leitores e está “totalmente disponível” para colaborar com os secretariados, departamentos e comissões diocesanas em todas as atividades.

“Continuamos este percurso formativo, no ano pastoral de 2020-2021, em que vamos iniciar as celebrações do centenário da Diocese, tentando dar resposta às expectativas do nosso tempo e adaptando-nos à situação concreta de pandemia que estamos a viver”, afirma o diretor do CCC, padre Manuel Coutinho.

Em 2011, a atividade do CCC “ganhou novo impulso” com a criação da Escola Diocesana de Educação da Fé e a Diocese de Vila Real lembra que a sua instituição de reflexão e formação começou nos anos 90 do século passado com um curso de licenciatura e mestrado em Ciências Religiosas e depois o Curso Básico de Cultura Religiosa, vários cursos, conferências e debates.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.