Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021

Bola doce mirandesa ultrapassa limitação de ser produto da época

O doce conventual passou de “fenómeno sazonal” pascoal para produto regional “vendido durante todo o ano” em vários pontos do país e fora, afirma a Lusa.

-PUB-

Não obstante as vendas ao longo do ano, a pandemia trouxe “quebras à produção” que só foram colmatadas graças às “novas tecnologias”. A bola, que ainda aguarda a conclusão do processo de certificação, é um dos ícones gastronómicos da região e tradicionalmente associado à Páscoa.

A autarquia de Miranda do Douro aposta na venda deste doce e de outros produtos regionais através da plataforma digital Merc@do de Sabores e Saberes Mirandeses (https://mercadosaboresesaberesmirandeses.pt/), tendo portes gratuitos em compras superiores a 15 euros.

A produtora Paula Domingues afirma que as quebras na Páscoa de 2020 foram toleráveis mas que as deste ano “são maiores e com mais impacto”, restando a esperança que as “vendas aumentem através da plataforma digital”. Admite, no entanto, que “não será a mesma coisa”.

Este produto, que remonta a 1510 segundo o historiador António Rodrigues Mourinho, origina de uma tradição “herdada dos conventos ou de famílias do clero e de gente rica”. O povo, no entanto, “foi modificando a bola à maneira regional”, levando ao que se come hoje.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.