Terça-feira, 6 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Conduzia motociclo com 4,2 g/l de álcool

A GNR de Alijó deteve, na semana passada, na EN 212, em Chã (Alijó), um homem, de 42 anos, agricultor, o qual conduzia uma motorizada, com a taxa de 4,2 gramas/ litro de álcool no sangue. Tudo aconteceu por volta das 14 horas, quando uma patrulha da força militar referenciada reparou num indivíduo, com residência […]

PUB

A GNR de Alijó deteve, na semana passada, na EN 212, em Chã (Alijó), um homem, de 42 anos, agricultor, o qual conduzia uma motorizada, com a taxa de 4,2 gramas/ litro de álcool no sangue. Tudo aconteceu por volta das 14 horas, quando uma patrulha da força militar referenciada reparou num indivíduo, com residência em Vila Chã, que circulava num ciclomotor, com o capacete debaixo do braço. Interpelado, o mesmo foi sujeito ao “teste qualitativo” e, como o mesmo se revelou positivo, acabou por ser conduzido para o Quartel da GNR de Vila Real, onde um teste “quantitativo”, para se apurar exactamente a taxa de alcoolémia, indicou (e para espanto dos militares presentes) a taxa de 4,2 gramas/litro de álcool no sangue.

Ao que apurámos, este condutor alcoolizado (taxa que pode levar o mais comum dos mortais a entrar em coma alcoólico) revelava, ainda, “lucidez e falava normalmente”. Este homem, conhecido como “Jorge”, em Vila Chã, ao que soubemos, é “habitual frequentador de cafés, na zona”.

António Oliveira, habitante desta aldeia, contou que “o Jorge é divorciado, já esteve a trabalhar, na Bélgica, na construção civil e vive sozinho”. Alguns trabalhos no campo dão-lhe o rótulo de agricultor.

“Bem precisava de alguém que o ajudasse a sair da bebida” – acrescentou.

Presente no Tribunal de Alijó, o “Jorge” saiu em liberdade e vai aguardar, agora, o respectivo julgamento.

Os valores de alcoolémia apurados, nesta ocorrência, constituem a mais elevada taxa até agora registada na área do Comando de Destacamento da GNR de Peso da Régua que abrange os concelhos de Mesão Frio, Alijó, Peso da Régua e Santa Marta de Penaguião.

 

Jmcardoso

 

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.