Sábado, 21 de Maio de 2022

Conferência Episcopal Portuguesa apela à participação em jornada de oração pela paz

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) apelou hoje às dioceses e organismos católicos nacionais para que participem na jornada de oração pela paz na Ucrânia que o Papa Francisco convocou para quarta-feira

“Pede-se a todas as Dioceses e organismos eclesiais que estejam em sintonia com a intenção do Santo Padre, assumindo o dia 26 de janeiro como um dia de oração pela paz, na solidariedade fraterna com o povo ucraniano e com os cristãos e os bispos da Ucrânia”, lê-se numa nota do secretariado da CEP citada pela agência Ecclesia.

No texto, a CEP recorda que, na sexta-feira, os bispos da Europa já haviam expressado exprimiram a mesma intenção. No domingo, o Papa Francisco mostrou-se preocupado com a situação na fronteira entre a Ucrânia e a Rússia, devido à escalada de tensão, e alertou para possíveis repercussões na segurança do continente europeu.

“Sigo com preocupação o aumento das tensões que ameaçam provocar um novo golpe na paz na Ucrânia e põem em discussão a segurança no continente europeu com repercussões ainda mais vastas”, alertou, a partir da janela do Palácio Apostólico, na oração do Angelus.

Diante dos fiéis que o ouviam na Praça de São Pedro, em Roma, Francisco fez um apelo “fervoroso” a “todas as pessoas de boa vontade” para rezarem e pedirem a Deus que “toda a ação e iniciativa política esteja ao serviço da fraternidade humana” e não ao lado de “interesses partidários”.

“Aqueles que perseguem os seus objetivos à custa dos outros desprezam a sua própria vocação como seres humanos, porque somos todos irmãos criados”, disse o pontífice, antes de convocar um dia mundial de oração pela paz na Ucrânia na próxima quarta-feira, dia 26 de janeiro.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.