Segunda-feira, 28 de Novembro de 2022

Conjuntura coloca em risco orçamento da Misericórdia de Lamego

O Orçamento e o Plano de Atividades da Santa Casa da Misericórdia de Lamego para 2023 foi aprovado, ainda que o documento apresente um défice superior a 160 mil euros.

-PUB-

Os tempos não estão fáceis e a conjuntura atual coloca em risco a estabilidade económica não só das famílias como também das empresas e IPSS.

É o caso da Santa Casa da Misericórdia de Lamego, cujo Orçamento e o Plano de Atividades para 2023, ainda que as previsões apontem para um défice de exploração de cerca de 167 mil euros.

“Temos consciência que o próximo ano será, provavelmente o mais difícil das nossas vidas”, confessa o provedor António Carreira, acrescentando que “a mesa administrativa desta Santa Casa será muito cautelosa e orientará o seu trabalho em prol da sustentabilidade da instituição”.

Para tal, “trabalharemos com prudência, rigor e contenção, reduzindo ao máximo as despesas, de forma a garantir que continuamos a prestar serviços de excelência e a respeitar a nossa missão e os nossos valores”, frisa, adiantando que o resultado negativo que se esperava da execução orçamental, até outubro deste ano, “afinal não se verificou”.

O trabalho da Santa Casa tem vindo a ser dificultado “pelo aumento generalizado dos preços e do valor do salário mínimo nacional”, refere. Ainda assim, garante,”o difícil contexto que o setor social irá enfrentar durante o próximo ano não impedirá a Misericórdia de Lamego de concretizar investimentos considerados prioritários”.

De acordo com o provedor, estão previstas “obras de reabilitação em alguns edifícios, a aquisição de equipamentos e a transformação de salas do pré-escolar em creche”. Além disso, “pretendemos estabelecer parcerias e acordos de cooperação com outras instituições com o objetivo de melhorar a qualidade do serviço prestado, bem como reforçar a formação dos colaboradores e aproveitar as candidaturas que eventualmente possam interessar”.

O provedor aproveita para lamentar “a demora do Estado na resposta a candidaturas apresentadas por esta Misericórdia, nomeadamente ao Programa de Celebração ou Alargamento de Acordos de Cooperação para o Desenvolvimento de Respostas Sociais (PROCOOP)”, assim como os atrasos “na abertura da clínica de hemodiálise, construída em instalações pertencentes a esta instituição”.

O Orçamento e Plano de Atividades foi aprovado em reunião da Assembleia Geral da Misericórdia de Lamego, realizada na sexta-feira, onde foi votada, por unanimidade, a atribuição de um voto de reconhecimento e agradecimento ao cónego Joaquim Assunção, “por todas as benfeitorias oferecidas por si que enriquecem a Capela do Sagrado Coração de Jesus”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.