Sábado, 4 de Fevereiro de 2023
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Distrito de Vila Real com aviso amarelo devido à queda de neve 

Cinco distritos do Norte e Centro estão sob aviso meteorológico amarelo devido à neve na madrugada de domingo, segundo informação atualizada hoje pelo Instituto do Mar e da Atmosfera, que prevê o mesmo nível para nove distritos na terça-feira.

-PUB-

O aviso menos grave de uma escala de três vigora das 03:00 às 05:00 de domingo em Viana do Castelo, Vila Real e Braga (para onde se prevê a “queda de neve acima dos 800 metros, com acumulação acima dos 1.000 metros, que poderá ser de até dois centímetros”), estendendo-se por mais uma hora em Castelo Branco e Guarda.

Nestes dois casos, a queda de neve deverá ocorrer acima de 1.000 metros, com acumulação acima dos 1.600 metros, que poderá ser também de dois centímetros, e, de acordo com o IPMA, é provável o registo de perturbações como o condicionamento de vias ou danos em estruturas ou árvores, devido à “possível formação de gelo” nestas zonas altas.

Na segunda-feira, o aviso amarelo motivado pela neve vigora nos distritos de Castelo Branco e Guarda, entre as 03:00 e as 15:00, mas nesse dia a queda deverá ocorrer acima dos 1.200 metros, com a possibilidade de acumulação até cinco centímetros de altura acima dos 1.600 metros.

Para terça-feira o instituto definiu um aviso amarelo entre as 06:00 e as 18:00 para nove distritos – Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Castelo Branco, Guarda e Viseu – pela previsão de “queda de neve acima de 900/1.100 metros, com acumulação que poderá ser superior a cinco centímetros”.

Segundo a informação disponibilizada no ‘site’ do IPMA, para domingo não estão previstos outros avisos no país, mas entre segunda e terça-feira vigoram avisos amarelos relativos a vento para 10 distritos de Norte e Centro (até Castelo Branco e Coimbra, inclusive).

Também entre segunda e terça-feira a agitação marítima vai motivar avisos laranja (o segundo mais grave) na faixa litoral entre Viana do Castelo e Lisboa, e amarelos de Setúbal a Faro.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Já na sexta-feira, o IPMA divulgou que a temperatura iria baixar a partir de domingo em Portugal continental, podendo atingir a meio da semana os -5 graus Celsius nas áreas interiores do Norte e Centro, devido à passagem de “superfícies frontais frias que atravessam o território de norte para sul, às quais estão associadas massas de ar polar, provenientes de noroeste”.

Na quarta e na quinta-feira, os valores da temperatura mínima na generalidade do território deverão ser inferiores a 5° C, exceto no litoral (entre 5° e 8° C). No Interior Norte e Centro estão previstas temperaturas entre -5° C e 0° C.

Já os valores da temperatura máxima não deverão ultrapassar 11°/14° C, sendo inferiores no interior de Norte e Centro (5° C a 9° C).

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) pediu hoje à população para adotar medidas preventivas, sublinhando que a precipitação prevista para os próximos dias (para já, sem avisos associados), as baixas temperaturas e a intensidade do vento vão favorecer a formação de gelo e geada e causar um “desconforto térmico elevado”.

O organismo alertou para os potenciais riscos deste quadro meteorológico, nomeadamente “intoxicações por inalação de gases, devido a inadequada ventilação em habitações onde se utilizem aquecimentos como lareiras e braseiras”, assim como para incêndios devido à “má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos”.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.