Segunda-feira, 28 de Novembro de 2022

Distrito de Vila Real perdeu quase 21 mil habitantes na última década

O distrito de Vila Real perdeu quase 21.000 habitantes na última década e tem agora uma população de 185.695, um decréscimo demográfico que afetou os 14 concelhos, de acordo com os resultados definitivos dos Censos 2021.

-PUB-

Os Censos 2021, cujos dados finais foram divulgados hoje, mostram que entre 2011 e 2021 este distrito perdeu 20.966 pessoas, passando de uma população de 206.661 habitantes para 185.695.

De acordo com as estatísticas oficiais, verificou-se uma perda de população ligeiramente superior, em 183 habitantes, à que foi referida nos dados provisórios dos Censos que foram divulgados no ano passado.

Os Censos 2021 revelam que todos os 14 concelhos do distrito perderam população, sendo que só dois municípios – Vila Real e Chaves – tiveram uma redução inferior a 10%.

A capital do distrito, Vila Real, tem agora 49.571 residentes, menos 4,40% do que em 2011. Este é o concelho do distrito com mais residentes e o único que, em 2011, teve um crescimento populacional.

Chaves, o segundo maior concelho, tem 37.590 residentes, menos 8,86%.

Os dados oficiais revelam que a maior perda demográfica ocorreu em Mesão Frio, município que tem agora 3.547 habitantes e que, em dez anos, perdeu 19,99% dos seus residentes.

Seguem-se Santa Marta de Penaguião com 6.100 habitantes (-17%), Peso da Régua com 14.540 perdeu 15,12% e Mondim de Basto com 6.410 perdeu 14,45% residentes.

O município de Alijó tem agora 10.486 residentes, Boticas 5.000, Montalegre 9.261, Ribeira de Pena 5.884, Valpaços 14.701, Vila Pouca de Aguiar 11.812, Murça 5.245 e Sabrosa 5.548.

De acordo com os resultados definitivos do Censos 2021, Portugal perdeu 2,1% da população entre 2011 e 2021, invertendo a tendência de crescimento registada nas últimas décadas.

“Residiam em Portugal, à data do momento censitário, dia 19 de abril de 2021, 10.343.066 pessoas (4.920.220 homens e 5.422.846 mulheres), o que representa um decréscimo de 2,1% face a 2011”, adiantou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, essa redução constitui uma inversão na tendência de crescimento da população que se verificou nas últimas décadas e representa a “segunda quebra populacional registada desde 1864, ano em que se realizou o I Recenseamento Geral da População”.

A fase de recolha dos Censos 2021 decorreu entre 05 de abril e 31 de maio e os dados referem-se à data do momento censitário, dia 19 de abril de 2021.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.