Sábado, 3 de Dezembro de 2022
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Feira dos Santos regressa “em força” após pandemia

De 29 de outubro a 1 de novembro, a cidade de Chaves volta a ser palco do seu ‘ex-líbris’ festivo com mais uma edição da Feira dos Santos, que ficará marcada pelo regresso à “normalidade”. Esperam-se, por isso, milhares de visitantes

PUB

Está de volta o maior evento cultural e socioeconómico da região de Trás-os-Montes e Alto Douro: a Feira dos Santos, o ‘ex-líbris’ festivo da cidade de Chaves. Depois de uma paragem forçada, em 2020, e de uma edição mais “contida”, em 2021, os “Santos” regressam em força durante quatro dias, com mais expositores, algumas novidades e uma forte aposta na “prata da casa”.

De cariz marcadamente popular, desconhecendo-se o ano em que começou a ser realizado, é, para os flavienses e para as gentes do Alto Tâmega e Barroso, o maior acontecimento festivo do ano, que se repete sempre que se despedem de outubro e dão as boas-vindas ao mês de novembro.

A par da habitual romaria aos cemitérios, os “Santos” vão muito para além da tradição católica e transformam toda a cidade. As ruas enchem-se de comerciantes, dos mais variados artigos, de diferentes aromas, de música, cor e tradições, que se perdem na memória, como a venda ambulante de meias de lã.

s visitantes aproveitam para fazer as compras de inverno enquanto percorrem os vários quilómetros de feira e se cruzam com amigos e conhecidos, com quem partilham “dois dedos” de conversa.

Por esta altura, os estudantes universitários regressam, obrigatoriamente, às origens, tal como alguns emigrantes e outros flavienses e transmontanos espalhados pelo país. Ao mesmo tempo, a Feira dos Santos é visitada por inúmeros vizinhos espanhóis, sobretudo durante o afamado Festival Gastronómico do Polvo, a par de curiosos oriundos dos “quatro cantos” do mundo.

PROGRAMA

A Feira dos Santos terá início com a abertura oficial, no Largo General Silveira, pelas 10h00 deste sábado (29), seguindo-se o arranque da transmissão em direto do programa “Aqui Portugal” da RTP1, uma das novidades desta edição. No que toca à animação, destaque para o regresso da festa dedicada aos anos 90 ao Pavilhão Expoflávia, que pretende atrair público mais jovem.

No domingo, dia 30, o dia começa com arruada de concertinas. Já ao início da tarde, as ruas irão ganhar uma nova dinâmica com animação a cargo do Teatro Experimental Flaviense (TEF), resgatada após dois anos de interregno forçado devido à Covid-19. À noite, a festa far-se-á no Largo General Silveira, com um espetáculo de dança e um concerto.

O último dia do mês de outubro começará com a famosa Feira do Gado, no Mercado do Gado, seguindo-se o XIX Concurso Nacional Pecuário das raças barrosã, maronesa e mirandesa, e o VIII Concurso Concelhio de Suínos da Raça Bísara, ambos no Forte S. Neutel. O mesmo local acolhe, a partir das 13h00, o Festival Gastronómico do Polvo que, este ano, e pela primeira vez, se estenderá até terça-feira.

No Dia de Todos os Santos, 1 de novembro, a par do Festival Gastronómico do Polvo, o programa inclui animação de rua, pelo TEF, e encerra com arruada de concertinas. Ao longo dos quatro dias de festa haverá, ainda, ‘stock out’, com o comércio tradicional a “sair à rua”, exposição de automóveis e de máquinas agrícolas, e venda de artesanato.
Já os “Santos da Noite” terão lugar nos espaços de animação noturna e, em especial, nos habituais carrosséis, carrinhos de choque, diversões infantis e zonas de restauração que, desde o início de outubro, fazem as delícias de miúdos e graúdos.

A Feira dos Santos resulta de uma organização conjunta da Associação Empresarial do Alto Tâmega (ACISAT) e do município de Chaves.

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.