Quinta-feira, 25 de Julho de 2024
No menu items!




Filandorra estreia 90ª produção no AUDIR

“Contos d’OIRO… ContaDOUROs” escrita por Alexandre Parafita terá a sua estreia dia 15 de junho, pelas 21h30, no recinto exterior do Auditório Municipal do Peso da Régua.

-PUB-

“Contos d’OIRO… ContaDOUROs”, baseada nos contos da tradição oral duriense, é a nova produção da Filandorra – Teatro do Nordeste, esta produção resulta do trabalho de recolha junto das comunidades locais como IPSS’s, freguesias, universidades seniores, de narrações orais do Douro, dos lugares, da paisagem, das crenças e superstições, da autoria do escritor e etnógrafo Alexandre Parafita.

A antestreia do projeto será no dia 14 de junho em Saborosa, terra natal do autor, nesta criação a comunidade duriense é desafiada a redescobrir a sua identidade ao ver retratada em palco as suas “linguagens”, os seus costumes, as suas crenças, numa produção que conta com a envolvência da comunidade.

Do trabalho de recolha de Alexandre Parafita, foram selecionados “meia dúzia de contos” para esta criação:  Nosso Senhor, o padre e os figos recolhido no concelho do Peso da Régua, As galinhas da rainha em Sabrosa, O bruxo e o galo negro em Vila Real, A Cidade do Sol e dos Sete Castelos em São João da Pesqueira, A princesa e o curandeiro de Carrazeda de Ansiães e O Diabo e as borras do vinho em Vila Nova de Foz Côa.

Criada em cúmulo de Residência Artística no município do Peso da Régua, a 90ª produção da Filandorra tem Estreia Nacional às 21h30 do dia 15 de junho, com os jardins do AUDIR – Auditório Municipal daquela cidade a servirem de palco aos contos durienses. Uma peça interpretada por Bibiana Mota, Inês Medeiros, Luís Pereira, Paulo Magalhães, Pedro Carlos, Rui Moura, Silvano Magalhães, Sinas Pereira e Sofia Duarte. A 90ª produção é uma criação coletiva com  encenação de David Carvalho, e canções da autoria de Marília Miranda Lopes, colaboradora musical da Filandorra.

“Contos d’OIRO… ContaDOUROs” é uma criação que resulta do projeto que a Filandorra candidatou ao Programa de Apoio em Parceria “Arte e Coesão Territorial” promovido pela DGArtes – Direção Geral das Artes/Ministério da Cultura. Depois de Sabrosa e Peso da Régua, o projeto segue em digressão pelos municípios  parceiros da candidatura (Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Cinfães, Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta, Lamego, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Murça, Penedono, Peso da Régua, Resende, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, São João da Pesqueira, Sernancelhe, Vila Nova de Foz Côa e Vila Real).

[adrotate group="24"]

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS




Mais lidas

[adrotate group="3"]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS