Domingo, 22 de Maio de 2022

Linha SNS 24 com mais de 5 milhões de chamadas em três meses

A Linha SNS 24 recebeu um valor recorde de mais de 5 milhões de chamadas no primeiro trimestre de 2022, mas menos de 3% das situações foram encaminhadas para um serviço de urgência.

Comparando com o período homólogo de 2021, em que foram registadas 1,6 milhões de chamadas, o número de chamadas atendidas nos primeiros três meses deste ano cresceu três vezes mais, segundo dados dos Serviço Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

Ao contrário do aumento na procura nas urgências hospitalares, os serviços não notaram um aumento substancial de chamadas para a linha em março.

“Não se verificou um acréscimo de chamadas em março de 2022 comparativamente aos meses de janeiro ou fevereiro, uma vez que durante o mês de janeiro deste ano foi registada a quinta vaga da pandemia covid-19, tendo sido atingido o recorde de chamadas atendidas”, referem os SPMS.

Durante a pandemia, os utentes com sintomas sugestivos de covid-19 ou com testes positivo devem telefonar para este serviço para poderem ser orientados.

Segundo os dados, em janeiro deste ano foram atendidas cerca de 3,3 milhões de chamadas, em fevereiro mais de 1,1 milhões e mais de 600 mil em março.

“Durante este período, foram encaminhados para um serviço de urgência menos de 3% dos utentes atendidos”, sublinham.

O Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde – SNS 24 através do Serviço de Triagem, Aconselhamento e Encaminhamento é responsável por avaliar e orientar os cidadãos perante um problema de saúde não emergente (por exemplo tosse, febre).

Através do contacto telefónico é feita a triagem de acordo com a situação clínica e o respetivo encaminhamento para o nível de cuidados adequado, nomeadamente autocuidados, cuidados de saúde primários, serviços de urgência, INEM ou Centro de Informação Antivenenos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.